ginástica

Ao longo dos séculos e na Antiguidade clássica, o conceito de ginástica foi aplicado a todos os exercícios praticados em ginásio como parte integrante do sistema educativo. Identificava-se assim com uma vasta gama de exercícios físicos tendentes a desenvolver capacidades como a destreza, a força e a resistência, com o objetivo de preservar o equilíbrio harmonioso das diversas dimensões do ser humano.
Com o fim da primeira era dos Jogos Olímpicos, em 393 d. C., a ginástica foi progressivamente sendo abandonada. Após uma longa rutura, voltou a surgir nos séculos XVIII e XIX, tendo persistido principalmente como forma de exercícios teatrais.
O espanhol Amorós, radicado em França, contribuiu largamente, no início do século XIX, para que a ginástica atingisse o estatuto de desporto. Foi nesta altura que surgiram as escolas francesa, sueca, alemã e suíça. Até esta data, a ginástica estava identificada com a prática dos acrobatas e equilibristas que se exibiam nas feiras. Nos finais do século XIX, a ginástica já era entendida como parte importante da formação do homem e do soldado. Para a história da modalidade ficam a introdução, por esta altura, dos aparelhos, como sejam a barra fixa, o cavalo e as paralelas. Em 1881 foi fundada a Federação Internacional de Ginástica, para supervisionar as competições internacionais. Logo em 1896 a ginástica integrou o conjunto das modalidades olímpicas.
A ginástica implica, da parte de quem a pratica, um elevado grau de flexibilidade, coordenação motora, dinâmica geral e equilíbrio. Da ginástica desportiva masculina fazem parte as provas de exercícios no solo, argolas, barras paralelas, barra fixa, salto de cavalo e cavalo com arções. A ginástica desportiva feminina é constituída pelas provas de exercícios no solo, paralelas assimétricas, barra fixa e salto de cavalo. A ginástica rítmica é uma modalidade feminina disputada individualmente ou por equipas. Pode ser praticada livremente (exercícios no solo) ou com fita, bola ou arco.
Como referenciar: ginástica in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-11 19:41:05]. Disponível na Internet: