Guerra Austro-prussiana

A guerra austro-prussiana decorreu entre junho e agosto de 1866. Marcou profundamente a penúltima etapa do caminho para a unidade alemã antes da proclamação do Império. Teve origem na substituição da Áustria pela Prússia como potência dominante na Alemanha. Bismarck, depois de ter obtido a neutralidade da Rússia e da França, conseguiu estabelecer uma aliança com a Itália, provocando em seguida a guerra entre os austríacos e prussianos.
A 14 de junho, após o abandono das conversações, a Áustria mobilizou o exército federal. A Prússia iniciou imediatamente a sua campanha contra esta monarquia do Danúbio, com a ajuda e apoio de vários estados alemães, tais como Baden, Baviera, Hanôver, Hesse, Saxónia e Vurtemberga. Em Custozza, a Áustria venceu a Itália em terra, a 24 de junho, e no mar, em Lissa, a 20 de julho. Entretanto, a Prússia conseguia uma vitória decisiva em Königgrätz-Sadowa sobre os austríacos, facilitando a entrada das tropas prussianas em Viena.
Bismarck, no entanto, receando uma intervenção francesa, entrou desde logo em negociações. A 26 de julho de 1866 decorreram em Nikolsburgo conversações entre a Prússia e a Áustria, que foram seguidas pela Paz de Praga, a 23 de agosto desse mesmo ano. A Áustria não só cedeu a região do Venéto à Itália, como também reconheceu a dissolução da Confederação Germânica. Bismarck anexou à Prússia as localidades de Hanôver, Hesseen- Kassel, Nassau e Frankfurte.
Como referenciar: Guerra Austro-prussiana in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 00:52:09]. Disponível na Internet: