Henrique Abranches

Escritor e antropólogo angolano, Henrique Mário de Carvalho Moutinho Abranches, nascido a 29 de setembro de 1932, em Lisboa, e falecido a 5 de fevereiro de 2006, na Áfric do Sul, usava também os pseudónimos Mwen Kalungo e Mwene Kalungo-Lungo.
Foi para Angola em 1947, onde aí adquiriu a nacionalidade e dedicou-se ao estudo da cultura angolana. Fundou, juntamente com Pepetela, em Argel, o Centro de Estudos Angolanos, onde trabalharam na redação de um manual de História de Angola. Entre 1976 e1979, Henrique Abranches foi diretor dos serviços museológicos de Angola e publicou diversos ensaios na área da antropologia social angolana, tais como Sobre o Feiticismo (1978), Reflexões sobre Cultura Nacional (1980) e Sobre os Bassolongos, Arqueologia da Tradição Oral (1991). Para além destes ensaios, colaborou em diversas publicações de imprensa, Cultura (II), Mensagem (Casa de Estudantes do Império), Jornal de Angola e a revista Àfrica.
O escritor possui, ainda, uma produtiva obra literária que abarca vários géneros literários, desde o romance à poesia, passando pelos contos e novelas: Diálogos (1960), A Konkhava de Féti (1981), Diálogo (1987), Cântico Barroco (1987), Titânica (1993), O Arcano do Leão (1997), E Nsanta Madiya Habitou entre Nós (2003), entre muitos outros.
Foram-lhe atribuídos o Prémio Nacional de Literatura (1981), pela obra A Konkhava de Féti e o Prémio Nacional de Literatura (1989), por O Clã de Novembrino.
Como referenciar: Henrique Abranches in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-02-21 22:46:37]. Disponível na Internet: