Hotel Bragança

O hotel Bragança (ou Braganza), citado em Os Maias de Eça de Queirós, estava situado na Rua Vítor Cordon (antiga rua do Ferragial), número 45, e não deve ser confundido com o Hotel Bragança da Rua do Alecrim, número 12, que lhe fica próximo. O edifício foi, a partir da década de 30 do século XX, propriedade da Fundação D. Manuel II.
O Hotel Bragança da rua do Ferragial de Cima aparece como lugar de encontro de ilustres hóspedes como o Rei Chulalongkorn, do Sião (Tailândia), que aí pernoitou quando visitou Portugal em outubro de 1897. Diversas personagens de Eça iam, também, aí almoçar. Desde 26 de março de 1889, o grupo dos "Vencidos da Vida", a que o escritor pertencia, juntava-se na sala grande do hotel.
Em Os Maias, é no Bragança que Carlos procura os seus amigos depois de regressar da Europa, quer marcando um "jantarinho à portuguesa" com "cozido, arroz de forno, grão de bico, etc., para matar saudades...", quer revendo Ega que, também, tinha andado em viagem: "Com efeito, Carlos pouco se demorou em Resende. E numa luminosa e macia manhã de janeiro de 1887, os dois amigos, enfim juntos, almoçavam num salão do Hotel Bragança, com as duas janelas abertas para o rio." (cap. XVIII).
Como referenciar: Hotel Bragança in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 08:49:41]. Disponível na Internet: