Indochina: a Presença Chinesa

A Indochina, península da Ásia do Sudoeste, é constituída por um território que engloba a Birmânia (atualmente Myanmar), a Tailândia, o Laos, o Camboja, o Vietname e a Malásia. Nota-se uma grande influência chinesa devido ao estabelecimento de poderosas colónias na Malásia, no Camboja e na Cochinchina. A outra via foi a inexistência de fronteiras entre a China e a Birmânia e entre o Norte do Vietname e o Laos.
Os povoadores da Indochina originários do Sul da China foram chegando em vagas sucessivas, e posteriormente deram origem aos Estados que ocuparam os vales e áreas em direção ao mar.
A Nordeste, os chineses formam o estado "satélite", do Nam Viêt, que agruparia Kouangtong, Kouang-si e Tonkin em 208 a. C.. Posteriormente estas regiões foram agregadas no século III a. C. pelo imperador Wou-Ti ao império chinês e, consequentemente, dá-se uma penetração profunda da civilização chinesa junto dos Vietnamitas de Tonkin. Só em 939 é que se formaria o Estado independente de Dai Viêt, na sequência do enfraquecimento do império chinês. O Vietname é assim um país de civilização chinesa - o Estado nasceu no delta de Tonkin e foi submetido à dominação chinesa durante treze séculos (do século III a. C. ao século X d. C. ) tendo recebido da China imensas influências, nomeadamente em relação ao uso de técnicas, aos estilos literários e ao tipo de religião praticada.
Como referenciar: Indochina: a Presença Chinesa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-17 14:09:28]. Disponível na Internet: