Isaltino Morais

Político português, Isaltino Afonso Morais nasceu a 29 de dezembro de 1949, em Mirandela. Aos 18 anos ficou órfão e deixou Trás-os-Montes para ir viver em Lisboa. Entre 1971 e 1973 esteve a cumprir o serviço militar em Angola, onde se começou a interessar por política, nomeadamente por causa dos artigos que leu de Francisco Sá Carneiro. Mal regressou a Lisboa foi trabalhar para o Instituto Nacional de Estatística. Ao mesmo tempo, frequentou a Faculdade de Direito de Lisboa, até que, depois de se ter licenciado, se tornou magistrado do Ministério Público no Centro de Estudos Judiciários. Foi ainda magistrado do Ministério Público com atividade no campo do Direito da Família, Menores, Trabalho e Criminal entre 1981 e 1985.
Entretanto, a influência de Sá Carneiro já o tinha levado a aderir ao Partido Popular Democrático em 1978. Dentro do partido, chegou a presidente da Federação Distrital de Lisboa e foi deputado na Assembleia da República entre 1995 e 1999.
Em 1985 candidatou-se pelo Partido Social Democrata, em coligação com o Centro Democrático Social, à presidência da Câmara de Oeiras, mesmo sendo na altura um desconhecido. Acabou por ganhar e esteve na presidência da câmara até 2002, tendo feito da habitação social a sua prioridade. O seu valor como autarca permitiu-lhe a eleição para vice-presidente da Junta Metropolitana de Lisboa, cargo que desempenhou entre 1992 e 1997, e para vice-presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, onde esteve entre 1997 e 2002. Chegou a ser considerado um autarca-modelo do PSD e foi coautor de dois manuais do autarca. Ainda durante o período de tempo que liderou a Câmara de Oeiras foi o representante do Governo português no Comité de Peritos para os Assuntos Sociais no Conselho da Europa, entre 1987 e 1991.
Em abril de 2002 abandonou logo no início o seu quinto mandato na Câmara de Oeiras para assumir o cargo de Ministro das Cidades, do Ordenamento do Território e do Ambiente, a convite de Durão Barroso. Passou assim a fazer parte do elenco do XV Governo Constitucional através de um ministério criado na altura, que tem a tutela das autarquias. Até aí, Isaltino Morais era "ministro sombra" das Obras Públicas enquanto o PSD estava na oposição. Demitiu-se do cargo que ocupava no governo de Durão Barroso em abril de 2003.
Como referenciar: Isaltino Morais in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-14 15:07:40]. Disponível na Internet: