Artigos de apoio

Islândia

Geografia
País insular do Atlântico Norte. Fica situado entre a Gronelândia e a Noruega, imediatamente a sul do Círculo Polar Ártico. Tem uma área de 103 000 km2 e 4800 km de costa. A Islândia é banhada pelo mar da Gronelândia, a norte, pelo mar da Noruega, a leste, pelo oceano Atlântico, a sul, e pelo estreito da Dinamarca, a oeste. As cidades mais importantes são Reiquiavique, a capital, com 116 500 habitantes (2004), Kópavogur (26 800 hab.), Hafnarfjördhur (21 800 hab.), Akureyri (16 000 hab.), Gardhabaer (9000 hab.) e Húsavik (2400 hab.). Tal como os Açores, encontra-se localizada no Rift Central do Atlântico, daí o predomínio de basaltos e de outras rochas vulcânicas, de cerca de 100 vulcões e diversas nascentes de água quente. As características geológicas e climáticas tornam grande parte do território inóspito. A cobertura vegetal arbórea resulta da plantação de coníferas e a restante vegetação é arbustiva e rasteira.

Clima O clima é frio, tendo apenas em Reiquiavique, no sul, três meses com temperaturas superiores a 10 °C, o que explica a permanência de glaciares.

Economia
A Islândia tem uma economia que se baseia na indústria pesqueira. Nos últimos 50 anos, a pesca passou de uma atividade familiar para uma atividade comercial em grande escala, com fábricas de processamento exploradas por grandes cooperativas. A produção industrial inclui o alumínio, o diatomito, os produtos alimentares, as bebidas e os produtos têxteis. Apenas 1% do solo é cultivado e, por isso, a agricultura resume-se à plantação de batata, de feno e de forragem. Os produtos marítimos dominam as exportações e destinam-se ao Reino Unido, à Alemanha e aos EUA. As importações provêm da Dinamarca, da Alemanha e dos EUA, e abrangem a maquinaria, o equipamento para os transportes, os combustíveis e os materiais de construção.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 7,4.

População
A população era, em 2006, de 299 388 habitantes, o que corresponde a uma densidade de aproximadamente 3 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 13,64%o e 6,72%o. A esperança média de vida é de 80,31 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,942 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,940 (2001). Os habitantes do país são maioritariamente islandeses (96%). A religião com maior expressão é o luteranismo evangélico (91%). A língua oficial é o islandês.

História
A Islândia foi colonizada por vikings vindos da Noruega em 874, mas algumas descobertas arqueológicas recentes sugerem que já teria sido povoada anteriormente. Em 930, os colonos criaram o primeiro Parlamento do Mundo, o Althing. Em 1262, o país uniu-se à Noruega e, em 1380, ambos os países ficaram sob o domínio da Coroa dinamarquesa. Até à Reforma, a Islândia foi politicamente autónoma mas, em meados do século XVII, a Coroa dinamarquesa passou a exercer um forte controlo sobre o país. Nessa altura a economia nacional entrou em declínio e, em 1780, a fome matou 1/5 da população.
Em 1874, a Dinamarca garantiu a Constituição islandesa e, em 1904, a Islândia constituiu o seu próprio Governo. Durante a ocupação alemã da Dinamarca, na década de 1940, as tropas britânicas e norte-americanas estacionaram no território islandês, usando-o como base aérea estratégica. Em 1944, a Islândia tornou-se uma república independente.
Atualmente, a Islândia é membro da Organização do Tratado Atlântico Norte (NATO), embora não possua forças militares próprias. O país tem os padrões de vida, de educação, de segurança social e de saúde notavelmente elevados, para além de ter uma grande estabilidade política e o rendimento per capita mais alto da Europa.
Como referenciar: Islândia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-04-22 02:14:09]. Disponível na Internet: