João Alves

Antigo futebolista e treinador português de futebol nascido a 5 de dezembro de 1952, em Albergaria-a-Velha.
Como futebolista começou a dar nas vistas nos juniores do Sanjoanense, de São João da Madeira, para onde foi levado pelo avô, Carlos Alves, glória do futebol português dos anos 20. João Alves ficou conhecido pelo "Luvas Pretas", porque, tal como o avô, que decidiu homenagear, jogou sempre com este adereço nas mãos.
Ainda com idade de júnior, Alves optou por ir jogar para o Benfica, apesar de também o Futebol Clube do Porto se ter mostrado interessado em contratá-lo. A técnica e a visão de jogo de Alves, que jogava no meio-campo, foram notadas no clube da Luz. Em 1970, quando chegou à idade de sénior, o futebolista foi emprestado ao Varzim, da Póvoa de Varzim, onde também se destacou. Desse modo, o treinador do Benfica na altura, o inglês Jimmy Hagan, pediu o seu rápido regresso à Luz. No entanto, um desentendimento com António Simões, uma das glórias do Benfica, levou a que João Alves fosse afastado clube, tendo sido vendido ao Montijo. Mas esteve naquele clube por pouco tempo já que viria a ser contratado pelo Boavista. Tornou-se num dos maiores ídolos de todos os tempos do clube do Porto e em 1975 vingou-se por ter sido dispensado pelo Benfica. Na final da Taça de Portugal correspondente à temporada 1974/75, marcou o golo que valeu a vitória dos boavisteiros no jogo disputado no Estádio de Alvalade, em Lisboa. Em 1975/76 voltou a ganhar a Taça de Portugal ao serviço do Boavista, na época treinado por José Maria Pedroto.
No final dessa temporada, foi vendido por doze mil contos ao Salamanca, da primeira divisão espanhola. João Alves esteve dois anos em Espanha e logo na primeira época foi considerado o melhor estrangeiro a atuar na liga espanhola, onde havia jogadores como o holandês Cruyff e o argentino Kempes. Contudo, devido a problemas financeiros do Salamanca, João Alves acabou por ser transferido em 1978/79 para o Benfica que assim recuperou o craque que havia dispensado.
Mas o futebolista só esteve uma época na Luz porque depois foi transferido para França, para o Paris Saint-Germain. Mas teve azar porque partiu a perna na terceira jornada e esteve cinco meses sem jogar, nunca voltando depois a atingir a boa forma. Logo na época seguinte, 1980/1981, regressou ao Benfica e às boas exibições, tendo sido campeão nacional.
Em 1982/1983 voltou a ser campeão pelo Benfica e chegou à final da Taça UEFA, numa altura em que a equipa era treinada pelo sueco Sven Goran Eriksson.
Alves abandonou então a Luz e regressou ao Boavista, onde terminou a carreira de jogador. Foi também no Boavista que iniciou a carreira de treinador em 1986/87. Na temporada seguinte treinou o Leixões, que subiu da II à I Divisão.
O ponto mais alto da sua carreira de treinador aconteceu na época 1989/1990 quando venceu a Taça de Portugal ao serviço do modesto clube Estrela da Amadora. Depois passou pelo Boavista, Guimarães, de novo o Amadora e o Belenenses. O bom trabalho feito no Restelo entre 1994 e 1996 valeu um convite para, em 1996/1997, regressar ao Salamanca de Espanha, agora na II Liga. Levou consigo alguns jogadores portugueses, como o avançado Pauleta, que viria a ser um dos melhores goleadores da Europa. No entanto, não fez a época completa no Salamanca. Em Portugal, ainda passou pelo Boavista nessa mesma época e depois pelo Campomaiorense, Farense e Académica, que subiu da I à II Liga.
Na época 2002/03 ao serviço do Estrela da Amadora alcançou o terceiro lugar na Liga de Honra, que permitiu ao Estrela ascender à Superliga, o primeiro escalão do futebol português.
Como referenciar: João Alves in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-22 01:44:50]. Disponível na Internet: