Kenneth Branagh

Ator e realizador britânico, Kenneth Charles Branagh nasceu a 10 de dezembro de 1960, na cidade norte-irlandesa de Belfast. Filho de uma família com poucas posses, foi morar para Londres em 1978, onde se matriculou no Royal Academy of Dramatic Arts. Terminou o curso em 1983 e ingressou imediatamente na prestigiada companhia teatral Royal Shakespeare Company onde entrou para a História por ter sido o mais novo protagonista de sempre da peça Henrique V. Conflitos com a Direção levaram-no a abandonar a RSC e a fundar o grupo Renaissance Theatre Company com o mecenato do príncipe Carlos. A BBC não ficou indiferente ao seu talento e convidou-o para protagonizar uma minissérie sobre a Segunda Grande Guerra: Fortunes of War (Acasos de Guerra, 1987). Durante as filmagens, apaixonou-se pela atriz Emma Thompson, com quem viria a casar dois anos depois. Estreou-se no cinema com High Season (Intriga ao Sol, 1987), onde contracenou com Jacqueline Bisset. Com 29 anos, Branagh cometeu a proeza de ter levado ao cinema Henry V (Henrique V, 1989), assumindo não só a realização como o papel principal. Rodeando-se de veteranos como Paul Scofield e Ian Holm, bem como da sua mulher Emma Thompson, o filme recebeu excelentes críticas e foi bem acolhido pelo público internacional, facto assinalável já que Branagh fez sempre questão de não "modernizar" as falas do texto original de Shakespeare. Branagh foi nomeado para os Óscares de Melhor Ator e de Melhor Realizador e o filme levou a estatueta para Melhor Guarda-Roupa. O êxito do filme mereceu-lhe o epíteto de "o novo Laurence Olivier" e o prestígio para apresentar projetos mais arrojados aos produtores de Hollywood. O seu projeto seguinte, Dead Again (Viver de Novo, 1991), foi um fracasso comercial e fez empalidecer um pouco a estrela de Branagh, que somou novo revés com a pouca projeção de Peter's Friends (Os Amigos de Peter, 1992). Consolado por nova nomeação para o Óscar, desta vez pela produção de uma curta-metragem intitulada Swan Song (1992), Branagh tentou nova incursão pelo universo shakespeariano com a comédia Much Ado About Nothing (Muito Barulho Para Nada, 1993). Rodeado de um grande elenco que comportava nomes como ele próprio, a esposa, Denzel Washington, Keanu Reeves e Michael Keaton, o filme foi bem acolhido pela crítica, mas revelou-se mais comedido em termos comerciais. Por esta altura, o seu casamento estava também a dar sinais de instabilidade, motivado pelo facto da carreira da sua mulher estar a correr melhor. Francis Ford Coppola pressionou-o a aceitar o projeto de filmar novamente Frankenstein (1994), entregando-lhe a realização e o papel do Barão Frankenstein, cabendo a Robert de Niro a interpretação do monstro. O filme foi arrasado pela crítica e Branagh, que sempre procurou manter-se fiel ao romance de Mary Shelley, caiu em desgraça, visto que os seus projetos não conseguiam obter bons resultados a nível comercial. Já divorciado de Emma Thompson e fiel ao seu passado, procurou refúgio em Shakespeare, realizando e interpretando uma nova versão de Hamlet (1996) com um elenco de luxo: Julie Christie, Kate Winslet, Gerard Depardieu, Charlton Heston, Jack Lemmon, Billy Crystal, Robin Williams, Richard Attenborough, John Gielgud e John Mills. Depois de ter interpretado Wild Wild West (1999), colaborou com a BBC, colocando a sua voz ao serviço da narração de documentários. Interpretou o papel do vilão Gilderoy Lockhart no segundo filme da saga Harry Potter: Harry Potter and the Chamber of Secrets (Harry Potter e a Câmara Secreta, 2002).
Como referenciar: Kenneth Branagh in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 12:03:35]. Disponível na Internet: