Luigi Cherubini

Compositor italiano, Maria Luigi Carlo Zenobio Salvatore Cherubini nasceu a 14 de setembro de 1760, em Florença, e faleceu a 15 de março de 1842, em Paris.
Aos seis anos, começou a aprender música com o pai, que era cravista e, aos dezasseis, Luigi Cherubini já tinha escrito várias composições religiosas. Entre 1778 e 1780, estudou em Veneza, Bolonha e Milão. Em 1784, apresentou quatro óperas em Londres sem grande sucesso, no entanto, ocupou o cargo de compositor do rei de Inglaterra durante um ano. Em 1786, instalou-se em Paris e alterou o seu estilo de composição musical, inspirando-se em Gluck. Em 1805, Cherubini apresentou, em Viena, a ópera Faniska que obteve imenso sucesso e que foi apreciada por Hadyn e Beethoven. Em 1786, Cherubini instalou-se definitivamente em Paris. Aí, exerceu vários cargos: diretor do Théâtre de Monsieur (1789-1792), nas Tulherias; inspetor de ensino (1796-1814) do Instituto Nacional de Música (posteriormente, Conservatório de Paris); superintendente da capela de Luís XVII (1816); professor de composição e diretor do Conservatório de Paris (1822-1841).
Quanto às suas obras, compôs dois requiems, numerosas missas, motetes, obras religiosas, obras instrumentais, árias, duetos, dezassete cantatas, diversas óperas das quais se destaca Medeia (1797), que se tornou conhecida pela interpretação de Maria Callas, em 1953, sob a direção de Leonard Bernstein.
Foi considerado um dos maiores compositores dramáticos da época, e o seu trabalho foi admirado por Beethoven, Schumann, Brahams e Hadyn.
Como referenciar: Luigi Cherubini in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 18:33:46]. Disponível na Internet: