Lunda Sul

Província a este de Angola cuja capital é a cidade de Saurimo (antigamente Henrique de Carvalho). Confinada pela República Democrática do Congo (a leste) e pelas províncias de Lunda Norte (a norte), Moxico (a sul), Malanje (a oeste) e Bié (a sudoeste), a província de Lunda Sul tem uma superfície de 77 637 km2 e uma população estimada em 153 300 habitantes (2004), sendo constituída na sua maioria pelos grupos étnicos Lunda e Tshokwe (ou Quiocos).
Província fortemente afetada pela guerra, surgiu geograficamente após a divisão administrativa da província de Lunda, por decreto-lei de 1978 do Conselho da Revolução. Tal como Lunda Norte, o grande potencial económico desta província encontra-se nos diamantes que proporcionam grandes receitas a nível local e nacional. Os primeiros diamantes descobertos em Angola (ribeira de Mussalala) foram registados, em novembro de 1912, por dois geólogos da empresa Forminiere. O setor dos diamantes, regulamentado pelo Programa de Estabilização do Setor dos Diamantes (PROESDA), foi controlado, durante o período colonial, pela Diamang - Companhia de Diamantes de Angola, criada em 1917. A Diamang fundou várias empresas filiais e criou diversas infraestruturas a fim de melhorar a região, tais como estradas, pontes, uma central elétrica e sistemas de abastecimento. Com a independência do país, foi criada a Empresa Nacional de Diamantes (Endiama), em 1981, e extinta a Diamang, em 1986. A industria diamantífera passou então a ser explorada pela Endiama e por várias empresas internacionais. As comercializadoras oficiais dos diamantes do país são a SODIAM - Sociedade de Comercialização de Diamantes (desde 2003) e a Ascorp - Angola Selling Corporation.
Com necessidade de grandes investimentos na reabilitação da província, esta revela enorme pobreza social e grandes deficiências nas infraestruturas (vias terrestres, telecomunicações, instalações de saúde e estabelecimentos de ensino). Para além do setor diamantífero, a região tem potencialidades de desenvolvimento no setor das energias (aproveitamento hidroelétrico do rio Chicapa) e da agricultura, com a produção de arroz, mandioca, milho, batata doce e óleo alimentar.
A nível cultural, tal como na Lunda Norte (outrora unidas numa só Lunda), é de destacar o artesanato do povo Tshokwe (ou Quiocos) - arte de corte refinada e poderosa, desenvolvida essencialmente através da escultura de estatuetas, máscaras, cetros, tronos de madeira e instrumentos de música.
Como referenciar: Lunda Sul in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-18 16:45:40]. Disponível na Internet: