Mariss Jansons

Maestro letão, Mariss Jansons nasceu em 1943, em Riga (Letónia).
Filho do maestro Arvid Jansons, iniciou os estudos musicais em violino, piano e direção de orquestra no Conservatório de Leninegrado, onde se graduou com as mais elevadas classificações. Entre 1969 e 1972, Mariss Jansons obteve uma bolsa que permitiu continuar os seus estudos em Viena, onde contactou com Hans Swarowski e com Herbert von Karajan, em Salzburgo. Em 1971, ganhou o Concurso Internacional de Direção da Fundação Herbert von Karajan, em Berlim.
Em 1973, Mravinsky, Maestro Titular da Filarmónica de São Petersburgo, nomeou Jansons para o cargo de Maestro Adjunto e, mais tarde, para o de Maestro Principal Adjunto, o que permitiu dirigir a orquestra em várias digressões internacionais. A partir de 1979 até 2000, foi Maestro Titular da Orquestra Filarmónica de Oslo, que realizou inúmeras digressões em importantes salas de espetáculos, fez várias gravações para a Emi, Chandos e Simax, conduzindo a orquestra a grande prestígio internacional.
Mariss Jansons dirigiu e gravou também com outras grandes orquestras mundiais, como a Boston Symphony, Berlin Philarmonic, Viena Philharmonic, London Symphony e London Philarmonic, entre outras. A sua produção discográfica inclui obras de vários compositores, tal como Dvorák, Bartók, Mahler, Prokofiev, Rachmaninov, Ravel, R. Strauss, e obteve prémios internacionais em discos com peças musicais como a Sinfonia nº 7 de Chostakovitch, com a Filarmónica de São Petersburgo (Prémio Edison de 1989); Sinfonia Fantástica de Berlioz, com a Orquestra do Real Concertgebouw (prémio holandês Luister); Sinfonia N.º 5 de Dvorák, com a Filarmónica de Oslo (Prémio Penguin), e as Sinfonias Nº 2 e Nº 3 de Honneger (Grand Prix du Disque).
Recebeu prémios a título individual, dos quais se destaca o de Commander with Star of the Royal Norwegian Order of Merit, concedida pelo rei Harald V da Noruega a um estrangeiro, pelo seu trabalho e sucesso obtidos com a Orquestra Filarmónica de Oslo; em 1999, foi designado Membro Honorário da Royal Academy of Music de Londres; em 2001, Membro Honorário da Sociedade dos Amigos da Música de Viena, o mais alto estatuto que se concede a um estrangeiro na Áustria, na área da música.
Para além de ser professor de Direção de Orquestra no Conservatório de Música de São Petersburgo e de ser Maestro Titular da Orquestra Sinfónica dessa mesma cidade, Mariss Jansons ocupa, desde setembro de 2003, o cargo de Maestro Titular da Orquestra Sinfónica da Rádio da Baviera e, a partir de setembro de 2004, o de Maestro Titular da Orquestra do Real Concertgebouw de Amesterdão.
Como referenciar: Mariss Jansons in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-22 17:49:28]. Disponível na Internet: