Milton Nascimento

Cantor e compositor brasileiro, nasceu no dia 26 de outubro de 1942, no Rio de Janeiro.

Enquanto jovem formou um grupo com o teclista Wagner Tiso, tocando os temas consagrados da bossa nova.

Conheceu o sucesso como compositor com "Canção do Sal", cantada por Elis Regina em 1966. O segundo lugar no Festival Internacional da Canção, em 1967, com o tema "Travessia", lançou definitivamente a sua carreira de cantor e multi-instrumentista (toca acordeão, baixo, guitarra e piano). No mesmo ano gravou o seu primeiro álbum, o homónimo Milton Nascimento. Desde então construiu um repertório extenso de cerca de três dezenas de álbuns, cruzando sonoridades pop e jazz.

Da sua discografia destacam-se os álbuns: Courage (1968); Milton Nascimento (1969); Clube de Esquina (1972), um dos mais aclamados álbuns da sua carreira, que incluiu os êxitos "Cais" e "Cravo e Canela"; Milagre dos Peixes (1973); Gerais (1976), que incluiu um dueto com a cantora chilena Violeta Parra, em "Volver a los 17" e a colaboração de Chico Buarque em "O Que Será"; Sentinela (1980); Anima (1982); Missa dos Quilombos (1982); Encontros e Despedidas (1986); A Barca dos Amantes (1987), com participação do saxofonista Wayne Shorter; Yauarate (1987); Miltons (1989); Txai (1990); Angelus (1994), com participações especiais de Pat Metheny, Herbie Hancock, Wayne Shorter, Peter Gabriel, James Taylor, entre outros; Amigo (1995); Nascimento (1997), nomeado para um prémio Grammy na categoria "World Music"; e Tambores de Minas (1998
).

Colaborou com artistas de renome mundial como Paul Simon, em Rhythm Of The Saints (1990), Manhattan Transfer, em Brasil (1987), e Sarah Vaughan, em Brazilian Romance (1987
).

Em 1999, o músico editou Crooner, um disco que recolhia algumas das suas músicas preferidas, bem como a primeira música que algumas vez tocou ao vivo, o tema "Barulho de Trem". Destaque ainda para a colaboração do amigo Wagner Tiso. No ano seguinte, chegou às lojas o disco Nos Bailes da Vida, onde figuram algumas faixas compostas por Chico Buarque.

Após três anos sem gravações, o cantor lançou Pietá (2003). Apesar da ausência, Milton Nascimento mantém as suas capacidades em pleno. O disco foi dedicado à madrasta e aborda os temas da infância e do amor, de resto os temas principais da sua música. Uma referência para a faixa "Cantaloupe Island", onde pontificam Herbie Hancock e Pat Metheny. Em geral, o disco recolheu excelentes críticas e constituiu um manifesto inequívoco da longevidade da música de Milton.


Como referenciar: Porto Editora – Milton Nascimento na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-18 07:49:12]. Disponível em