Mily Possoz

Pintora de ascendência belga, nasceu em Lisboa, em 1888, e morreu em Sintra, em 1967. Estudou na Alemanha e em Paris, na Académie de la Grande Chaumière (1906). A partir de 1909, expôs nos salões da Sociedade Nacional de Belas-Artes. Viveu em Paris entre 1922 e 1937 e chegou a ficar noiva do pintor Eduardo Viana. Aliás, foi com este pintor e com Almada Negreiros que expôs em Lisboa (1923) na Exposição dos Cinco Independentes.
Mily Possoz foi um dos casos mais notáveis da pintura fauve portuguesa, no modo livre com que se serviu das linhas e das cores. Explorou, na sua pintura, a combinatória do signo linear com a mancha de cor pura, alcançando variados sentidos rítmicos e efeitos de transparência, principalmente nas aguarelas. Além das qualidades óticas da sua pintura, Mily Possoz tendia para a expressão de um lirismo feérico em todas as modalidades a que se dedicou, nomeadamente a arte de gravar, tendo feito parte, em Paris, do grupo da "Jeune Gravure Contemporaine". Nas suas obras aparecem representadas paisagens, principalmente de Sintra, flores, gatos, meninas e figuras populares, em temas simples, ternos, de gosto feminino. Tendo-se aproximado de alguns modernistas, nunca adotou, porém, qualquer atitude de crítica ou de rutura em relação ao gosto dominante.
Como referenciar: Mily Possoz in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 07:57:38]. Disponível na Internet: