Museu do Louvre

O Museu do Louvre, em Paris, tem uma das coleções de arte mais ricas do mundo. Encontram-se nela representados todos os períodos da arte europeia até ao Impressionismo.
O museu é um vasto complexo de 200 000 m2 que compreende sete departamentos, dedicados a antiguidades egípcias, orientais, gregas e romanas, escultura, pintura e desenho. Alberga uma magnífica coleção de pintores europeus como Leonardo da Vinci, Rafael, Rubens, Rembrandt, Vermeer e Goya, entre muitos outros. Contém obras-primas da Renascença italiana e do período barroco. Encontram-se expostos objetos de arte medieval, renascentista e moderna, bem como os tesouros dos reis franceses. No departamento de antiguidades orientais encontra-se uma importante da coleção de arte da Mesopotâmia.
No século XII foi neste local construído um castelo para Filipe Augusto. Em 1546, Francisco I, grande colecionador de arte, demoliu o velho castelo e construiu uma residência real. O Louvre deixou de ser residência dos monarcas quando Luís XIV se mudou para o Palácio de Versalhes, em 1682. A ideia de transformar o Louvre em museu nacional surgiu no século XVIII. Em 1793 o governo revolucionário abriu ao público o Museu Central de Artes neste espaço.
Nos anos de 1980 e 1990, o museu foi remodelado, construindo-se uma grande pirâmide de vidro que funciona como extensão do espaço do antigo palácio. Em 1993 o museu parisiense comemorou o seu 200.o aniversário com a abertura da ala de Rechelieu, que alberga arte islâmica, coleções de pintura europeia e arte decorativa.
Como referenciar: Museu do Louvre in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-05 10:36:03]. Disponível na Internet: