Nelas

Aspetos Geográficos
O concelho de Nelas, pertencente ao distrito de Viseu, localiza-se na Região Centro (NUT II), no Dão-Lafões (NUT III), ocupa uma área de 125,7 km2 e abrange nove freguesias: Canas de Senhorim, Carvalhal Redondo, Nelas, Santar, Senhorim, Vilar Seco, Aguieira, Lapa do Lobo e Moreira.
O concelho apresentava, em 2005, um total de 14 387 habitantes. O natural ou habitante de Nelas denomina-se nelense.
O concelho encontra-se limitado a nordeste pelo concelho de Mangualde, a noroeste pelo de Viseu, a sudoeste por Carregal do Sal, a sudeste por Oliveira do Hospital no distrito de Coimbra e a este por Seia (distrito da Guarda).
Possui um clima mediterrânico com feição continental, apresentando invernos frios e verões quentes e secos.
A sua morfologia é pouco acidentada, destacando-se como áreas de maior altitude Senhora do Viso (437 m) e Vilar Seco (441 m).
Como recursos hídricos, existem a ribeira da Aguieira, a ribeira de Pereiró, a ribeira do Pisão, a ribeira de Cristelo e o Mondego.

História e Monumentos
O desenvolvimento destas terras está relacionado com a sua posição geostratégica. Nelas fica num cruzamento de caminhos em vários sentidos, nomeadamente o que liga a fronteira até ao litoral e o que liga Viseu à serra da Estrela. Por aí passa, também, a linha do caminho de ferro da Beira Alta.
Este fator geográfico contribuiu para que Nelas, durante todo o século XX, se assumisse como a primeira indústria no distrito de Viseu, com os fornos elétricos e as minas da Urgeiriça, em Canas de Senhorim. Estas empresas entraram em declínio aquando do processo de industrialização da sede do concelho.
O concelho é de formação recente, por carta régia de D. Maria II, em 1852, e reuniu os anteriores concelhos de Senhorim (com sede em Vilar Seco) e de Canas de Senhorim.
Em 1514, Nelas tinha recebido novo foral atribuído por D. Manuel I.
A nível do património arquitetónico, destacam-se a Casa do Infante D. Henrique, o solar da Quinta da Aguieira, datado do século XVII, as ruínas do Paço das Cunhas, de estilo renascentista, de 1690, que se integram na Casa do Soito, a Capela de Nossa Senhora da Tosse e a Casa do Soito, do século XVIII.

Tradições, Lendas e Curiosidades
Das manifestações populares e culturais, em grande número no concelho, são de destacar como as mais características a festa-feira do Vinho do Dão, que é o maior evento regional relativo ao vinho do Dão e que se realiza no segundo fim de semana do mês de setembro; a festa da Senhora da Tosse, na segunda-feira de Páscoa; a festa de S. Domingos, realizada a 7 de maio, e a "Semana do Município", de 19 a 25 de junho, ambas com lugar na Praça do Município.
Os cortejos e tradições carnavalescos merecem também referência, assim como as festas e romarias que se realizam por todas as freguesias do concelho em honra dos respetivos santos padroeiros.
No artesanato, destacam-se os trabalhos de tapeçaria, de olaria, os bonecos em madeira e a pintura.

Economia
No concelho predominam as atividades ligadas ao setor terciário, seguindo-se as do setor secundário, tendo o primário um peso relativamente baixo.
No que se refere à atividade agrícola, destacam-se os cultivos de cereais para grão, olival, prados temporários e culturas forrageiras, batata, prados, pastagens permanentes e vinha. A pecuária tem também alguma importância, nomeadamente na criação de ovinos, coelhos e aves. Cerca de 42% (2037 ha) do seu território está coberto de floresta.
Como referenciar: Nelas in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-02-22 10:29:21]. Disponível na Internet: