Niassa

Província do Norte de Moçambique tem como capital a cidade de Lichinga, com 105 000 habitantes (2004). Confinada pelas províncias de Cabo Delgado, de Nampula e da Zambézia e limitada, a norte, pela Tânzania e, a oeste, pelo lago Malawi, Niassa é a maior das dez províncias moçambicanas (122 176 km2) e com 901 000 habitantes (2004), constituída pelas etnias dos Macuas, Nianjas e Ajauas. As atividades económicas mais importantes são fomentadas pela produção de algodão, milho e sorgo, pela extração de madeiras e pela exploração dos recursos minerais, como o ouro, as pedras semi-preciosas, o carvão e o kimberlito.
A cidade de Lichinga (Vila Cabral, na era colonial) situa-se no planalto com o mesmo nome (1 277 m de altitude), planalto que integra o Rift Valley - sistema montanhoso que vai do Mar Vermelho a Moçambique. É apenas no início do século XX que Lichinga e Cuamba se tornaram centros urbanos, devido à chegada dos colonos àquela região e à criação de entrepostos comerciais e administrativos na província. Após a independência, a política de desenvolvimento ficou estagnada transformando Niassa numa província "esquecida" de Moçambique. No entanto, esta província tem vindo a progredir, graças não só ao melhoramento das telecomunicações e das vias de comunicação, como também à abertura de Moçambique ao mundo e ainda ao esforço de cooperação entre o governo provincial e os países da Suécia e da Irlanda.
Com os objetivos de apoiar o setor privado de Niassa e de contribuir e promover investimentos na província, foi criado o Nakosso - Centro de Negócios de Niassa, no âmbito de um programa conjunto entre o Governo moçambicano e a Agência Sueca de Cooperação para o Desenvolvimento Internacional (Asdi). Com sede nas cidades de Lichinga, Cuamba e Maputo, os principais serviços de Nakosso centram-se nas áreas: jurídicas; de informação às empresas; de mediação de conflitos. A província de Niassa, um verdadeiro éden africano, é uma das mais importantes áreas naturais do mundo, apresentando uma grande diversidade de fauna tropical, constituída por leões, leopardos, elefantes, búfalos e outras espécies, sendo algumas delas raras, como a zebra Boehms, o antílope negro africano e o cão selvagem africano. A maior concentração de vida animal do país encontra-se nesta província, na Reserva de Niassa (distrito de Mecula), com 42 000 km2, uma das maiores zonas de proteção do mundo que integra o vasto ecossistema da floresta Miombo.
Um outro centro natural de biodiversidade da região é o lago Malawi (ou lago Niassa), o terceiro maior lago africano. Descoberto, em 1958, pelo famoso missionário e cientista David Livingstone, o lago possui mais de 1000 espécies de peixe, estando mais de 600 delas devidamente identificadas. Os ciclídeos são a espécie mais conhecida sobretudo pelo seu colorido e pela formação de grupos endémicos por entre as rochas do lago.
O Governo provincial converteu aquela zona natural num destino ecoturístico, preservando, no entanto, todo o património natural.
Como referenciar: Niassa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-21 03:41:14]. Disponível na Internet: