orla mesocenozóica ocidental ou lusitana

A série mesozoica inicia-se por uma série continental detrítica com conglomerados, arenitos e argilas, geralmente de cor vermelha, formada no Triásico superior. A série mesozoica é discordante relativamente ao soco continental.
A esta série sucede-se uma série lagunar com argilas vermelhas, margas, gesso e sal-gema. Sucedeu uma transgressão que originou uma série calcária fossilífera com amonites e alguns braquiópodes.
No Jurássico superior, o mar é regressivo, ocorrendo depósitos de fácies marinho cada vez menos profundos, com calcários recifais, margas lagunares e leitos de carvão. O Jurássico superior apresenta ainda fácies continentais com séries de conglomerados, arenitos e argilas.
O Cretácico inferior ainda é regressivo. Seguiu-se uma transgressão em que se constituíram depósitos calcários. O Cretácico superior está reduzido à região Aveiro-Coimbra. É nesta época que se formam os maciços eruptivos de Sintra, Sines e Monchique e o denominado complexo vulcânico de Lisboa-Nazaré. O Miocénio marinho é caracterizado por transgressões e regressões, encontrando-se depósitos com muitos fósseis. No Quaternário, na zona a norte do Tejo, existem grandes fraturas, possivelmente hercínicas, e dobras amplas relacionadas com fenómenos de diapirismo.
Como referenciar: orla mesocenozóica ocidental ou lusitana in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-27 14:38:12]. Disponível na Internet: