Partido Popular Monárquico (PPM)

O Partido Popular Monárquico foi fundado pouco tempo depois do 25 de abril de 1974 (23 de maio), integrando os monárquicos mais ativos. Podem-se procurar os antecedentes mais remotos da ação dos partidários da monarquia desde o momento da implantação da República. Assim se compreendem as ações do Integralismo Lusitano e da Causa Monárquica. Os primeiros estiveram integrados nos primeiros momentos da ditadura salazarista, embora o descontentamento pelo desvirtuamento da doutrina fosse depois sentido. Salazar impediu sempre qualquer tentativa de alcance de poder por parte dos monárquicos - a importância política do herdeiro D. Duarte Nuno estava anulada. A União Nacional, formada por elementos da Causa Monárquica, também viu as suas aspirações completamente frustradas. No final dos anos 50 surgiram mudanças nas linhas de rumo dos monárquicos com um grupo de independentes defensor da liberdade e das instituições democráticas. Destacaram-se na oposição ao regime através de diversas ações. Em 1958, apoiaram a candidatura à Presidência da República do General Humberto Delgado. Apresentaram-se às eleições de deputados em 1969. Em 1971, o Movimento Popular Monárquico, a Liga Monárquica e a Renovação Portuguesa uniram-se e formaram a Convergência Monárquica. O passo seguinte foi a criação do Partido Popular Monárquico a partir de elementos da Convergência Monárquica. Francisco Rolão Preto foi presidente do Congresso e ao longo dos anos destacaram-se as lideranças de Henrique Barrilaro Ruas e Gonçalo Ribeiro Telles, este último até 1994, data em que, por dissidências com o PPM, sai para fundar o Movimento Partido da Terra.
O PPM caracteriza-se por ser um pequeno partido que durante as eleições intercalares alcançou maior notoriedade pela participação na aliança eleitoral à direita do PS, formada pelo PSD, CDS e pelo PPM, que ficou conhecida como AD (Aliança Democrática). A AD integrava as aspirações de importantes faixas do eleitorado e conseguiu alcançar a maioria absoluta nas eleições legislativas.
Seguem-se os resultados eleitorais de 1975 a 1991 que marcaram a vida do PPM:
Eleições para a Assembleia Constituinte (25 de abril de 1975) - 0,6%
Eleições para a Assembleia da República (25 de abril de 1976) - 0,52%
Eleições para a Assembleia da República (2 de dezembro de 1979) - Coligação com a AD - 42,52%
Eleições para a Assembleia da República (5 de outubro de 1980) - Coligação com a AD - 44,9%
Eleições para a Assembleia da República (25 de abril de 1983) - 0, 48%
Não concorreu às eleições legislativas de 6 de outubro de 1985
Eleições para o Parlamento Europeu - 1987 - 2,75%
Eleições para a Assembleia da República (19 de julho de 1987) - 0,41%
Eleições para o Parlamento Europeu - 1989 - 2,03%
Eleições para a Assembleia da República (6 de outubro de 1991) - 0,44%
Concorre às eleições legislativas de 1995 (coliga-se com o MPT - Movimento o Partido da Terra) e de 1999.
Como referenciar: Partido Popular Monárquico (PPM) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-19 13:55:12]. Disponível na Internet: