Paz de Paris

Tratado que pôs termo à primeira guerra ocasionada pelo pacto de família e que terminou com a vitória dos Ingleses. A paz assinou-se em Versalhes em 10 de fevereiro de 1763 entre a Inglaterra, a Espanha, a França e Portugal.

A Inglaterra conservou parte das colónias de que se tinha apoderado, e adquiriu vantagens, dado que a França cedeu a Nova Escócia, Canadá com o país a este do Mississipi, a ilha do Cabo Bretão com as ilhotas e as ribeiras de São Lourenço na América do Norte; Granada, Dominica, S. Vicente e Tobago, nas Índias ocidentais; o Senegal, em África, e as aquisições que tinha feito na costa de Coromandel desde 1749 no Oriente - para além de renunciar a ter tropas em Bengala, tinha que demolir as fortificações em Dunquerque.
Pela sua parte, a Espanha cedia à Inglaterra a Florida ocidental (adquirindo da França, em compensação, a Luisiana com Nova Orleães), devolvia a ilha de Menorca e outorgava aos ingleses o direito de corte de pau campeche nas Honduras e nos demais territórios espanhóis, para além de abandonar o direito de pesca nos bancos da Terranova, sendo que por sua vez a Inglaterra devolvia as conquistas feitas em Cuba.

Por fim, tanto as tropas francesas como as espanholas abandonariam Portugal, a quem se restituiria, por outro lado, a colónia de Sacramento no Uruguai. Esta paz foi completada com a de Hubertsburg, pela qual a Prússia terminava também a guerra sem perder qualquer território.

Como referenciar: Paz de Paris in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-22 13:19:05]. Disponível na Internet: