Pesca à Candeia

A pesca à candeia era uma prática piscatória bastante comum em todo o Mediterrâneo, nomeadamente em certas comunidades italianas e gregas, e também em Portugal, com destaque para o Algarve. Esta técnica consiste em fazer deslizar suavemente uma embarcação pelas águas calmas e em noites escuras com uma candeia na proa, perto da água. É sabido que de noite a luz atrai os animais, ofuscando-os e fascinando-os. O peixe, que não foge a essa atração, surge à superfície das águas e ao ficar encandeado pela luminosidade da candeia, numa espécie de hipnose de alguns minutos, dá tempo a que seja apanhado pelo pescador. Este, com força, mergulha no mar sucessivas vezes uma fisga, espécie de "garfo" grande, até varar o peixe, retirando-o posteriormente para dentro do barco. Este tipo de pesca também pode ser feito com redes, mas em ambos os casos esta técnica não pode ser considerada muito eficiente, sendo os seus resultados bastante reduzidos em termos de capturas. Este facto pode estar na razão do seu quase desaparecimento, bem como na incompatibilidade da pesca à candeia com as exigências do mercado e o perfil dos pescadores da atualidade.
Como referenciar: Pesca à Candeia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-02-20 23:32:49]. Disponível na Internet: