produtos financeiros

São bens de carácter puramente financeiro, colocados à disposição do público em geral pelas instituições financeiras.
São exemplos de produtos financeiros existentes em Portugal: 1) Emissões de dívida pública, nomeadamente: as Obrigações do Tesouro Fomento do Investimento Público (FIP), que são emissões de longo prazo; os certificados de aforro (produtos sem prazo pré-determinado e destinados a pessoas singulares, normalmente pequenas poupanças, se bem que o limite de subscrição por pessoa seja de 50 000 contos, ou seja, 249 399 euros); Obrigações do Tesouro a Taxa Fixa; crédito em sistema de leilão ao investimento público (CLIP), que são emissões efetuadas em regime de leilão pela Junta do Crédito Público, por um prazo de sete anos; e Bilhetes do Tesouro, que são títulos de dívida pública vencíveis a muito curto prazo;
2) Emissões de empresas: ações (títulos representativos de partes do capital das empresas); obrigações (títulos representativos de empréstimos efetuados pelas sociedades anónimas e por quotas); obrigações convertíveis em ações (obrigações que conferem o direito ao seu detentor de as converter, segundo um determinado quociente de conversão, em ações da empresa emitente); ações preferenciais, isto é, as que garantem ao acionista um dividendo mínimo; e títulos de participação (tipo especial de obrigações que apenas pode ser emitido por empresas públicas ou por sociedades anónimas de capital maioritariamente público);
3) Outros: fundos (de investimento mobiliário, de tesouraria, de obrigações), ou seja, carteiras de títulos, constituídas com o objetivo de, através dessa diversificação, diminuir o risco do investimento; depósitos a prazo; e poupanças-reforma e habitação.
Como referenciar: produtos financeiros in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-04 14:53:59]. Disponível na Internet: