Ptah

Era o deus egípcio que tinha criado os espíritos (ou Ka) dos outros deuses, o mundo e as suas criaturas, a Teologia de Mênfis e a própria cidade de Mênfis. Era por isto denominado Ta-tenen (Colina Primordial). Por esta razão lhe foi dado o nome de Ptah, que significa Criador, e foi considerado (a meias com o deus menfita Sokar) o patrono dos artífices, que criam objetos. Sokar inspirava e protegia os que trabalhavam o metal e Ptah os que trabalhavam a pedra.
A cidade de Mênfis (um reconhecido centro artístico, daí que tenha sido dedicada ao deus), chamada Het-ka-Ptah (Casa da alma de Ptah) por ter sido criada por este deus, foi uma das capitais mais importantes do Antigo Egito.
Este deus era normalmente considerado casado com Bastet ou com Sekhmet, tendo como filhos Maahes, Nefertem e Imhotep (o arquiteto da pirâmide do faraó Zoser, que foi deificado pelas importantes inovações técnicas que introduziu e cuja importância se pode deduzir a partir da inscrição sobre a estátua deste faraó: Sumo escultor, grande sacerdote de Heliópolis, príncipe hereditário, primeiro depois do rei, guarda-selos do rei do Baixo Egito, Imhotep, carpinteiro, escultor.).
Houve um período em que Ptah, Sokar e Osíris formavam um só deus que representava as características de cada um: a criação, a estabilidade e a vida para lá da morte. Osíris foi substituído por Atum em Heliópolis.
Ptah era usualmente representado sobre um hieróglifo que era parte do nome da deusa da Verdade, Ma'at, tendo na mão uma caveira, ou como uma múmia com as mãos livres, sustendo numa delas um cetro formado pelos símbolos djed (estabilidade), was (poder) e ankh (vida). No entanto, há também representações suas também como um anão de trança e pernas curvas, apesar de um dos seus cognomes ser rosto formoso.
Ao oráculo deste deus associava-se também o boi Ápis. Com Amon e Rê fez a partir de certa altura parte da tríade de deuses mais importantes do panteão.
Ptah era considerado o construtor dos barcos que as almas dos que morriam usavam na viagem para a outra vida.
Como referenciar: Porto Editora – Ptah na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-22 09:23:37]. Disponível em