queratinócitos

A principal função dos queratinócitos é produzir queratina, uma proteína fibrosa que faz, por exemplo, da epiderme uma camada protetora. Finamente ligados uns aos outros por desmossomas, os queratinócitos formam-se na camada mais profunda da epiderme a partir de células que se encontram sempre em divisão. Os queratinócitos são empurrados para a superfície da pele devido à produção de novas células por baixo deles e vão formando queratina que eventualmente pode dominar o seu conteúdo celular. À medida que os queratinócitos se aproximam da superfície da pele, transformam-se em estruturas esqueléticas que pouco mais são que membranas com queratina. Milhões destas células mortas são eliminadas por abrasão todos os dias, o que permite a renovação total da epiderme em cerca de 35 a 45 dias, o tempo que medeia entre o "nascimento" de um queratinócito e a sua eliminação na superfície da pele. Em regiões do corpo sujeitas a fricção interna como, por exemplo, braços e pés, a formação de células e a sua queratinização são aceleradas.
Um atrito persistente, por exemplo por um sapato pouco adaptado ao pé, provoca um engrossamento da epiderme, com queratinócitos, denominado calo.
Como referenciar: queratinócitos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-10 22:00:20]. Disponível na Internet: