Ramsés III

Primeiro ou segundo faraó da 20.ª dinastia, reinou entre 1190 e 1158 a. C. É considerado o último grande faraó do Egito independente.
O seu reinado ficou marcado por um número significativo de ataques às fronteiras do império desde Este a Oeste. Em primeiro lugar foram as tribos líbias, que durante o quinto ano do seu reinado tentaram conquistar a zona ocidental do delta. Três anos depois, uma confederação de povos do mar, que se estendeu através da Palestina e da Síria, tentando conquistar o Egito por terra e por mar. O ataque foi rechaçado em 1182 a. C., após uma dura batalha. Finalmente, durante o 11.º ano do seu governo foi protagonista de uma nova luta contra os líbios, após a qual o Egito conheceu um período de paz e segurança.
Apesar deste esforço, a situação geral era de profunda crise e decadência. Antes do final do reinado de Ramsés III, dá-se em Tebas uma sublevação por parte dos trabalhadores que laboravam no mausoléu real, sendo o próprio faraó vítima de uma tentativa de assassinato, previamente planeada na corte.
Com a sua morte, sucedem-lhe oito novos faraós com o nome Ramsés, ocupando o trono a um ritmo de rápida substituição. Os sinais de decadência multiplicaram-se durante esse período.
Como referenciar: Porto Editora – Ramsés III na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-10-18 13:11:54]. Disponível em