Raoul Walsh

Realizador norte-americano, de seu verdadeiro nome Albert Edward Walsh, nasceu a 11 de março de 1887, em Nova Iorque. Depois de ter passado por vários empregos precários, trabalhou como ator numa companhia de teatro itinerante. Em breve, tornou-se assistente pessoal do afamado realizador D. W. Griffith. Em 1912, enquanto estava no México para acompanhar a revolução de Pancho Villa realizou o seu primeiro filme, um documentário sobre o guerrilheiro: Life of Villa (1912). Voltou a trabalhar com Griffith, desta vez como ator no épico The Birth of a Nation (O Nascimento Duma Nação, 1915), onde encarnou John Wilkes Booth, o assassino do presidente Abraham Lincoln. A partir daí, tornou-se um prolífero realizador, tendo dirigido até 1920 perto de quatro dezenas de filmes, a maioria dos quais irremediavelmente perdidos. O seu primeiro grande sucesso comercial foi The Thief of Bagdad (O Ladrão de Bagdad, 1924), protagonizado por um dos maiores galãs do cinema mudo: Douglas Fairbanks. Durante os anos seguintes, assumiu-se como realizador de cinema de aventura. Durante as filmagens de In Old Arizona (1929), em que assumia a dupla faceta de ator/realizador, foi vítima de um violento acidente de automóvel, tendo perdido o olho direito. A partir daí, abandonou a carreira de intérprete, dedicando-se exclusivamente à realização. Em 1939, depois de uma série de filmes-B, mudou-se para o maior estúdio de então: a Warner. Aí assinou êxitos como o filme de gangsters Roaring Twenties (Heróis Esquecidos, 1939), High Sierra (O Último Refúgio, 1941) e uma série de filmes protagonizados por Errol Flynn como They Died With Their Boots On (Todos Morreram Calçados, 1942), Gentleman Jim (O Ídolo do Público, 1942), San Antonio (Cidade Sem Lei, 1945) e Objetive Burma (Operação Burma, 1945). Era evidente que Walsh se sentia à vontade a trabalhar em filmes de ação: a sua obra-prima White Heat (Fúria Sanguinária, 1949) foi um marco dos filmes de gangsters e proporcionou a James Cagney um dos papéis mais emblemáticos da sua carreira. Trabalhou com grandes nomes como Gregory Peck em Captain Horatio Hornblower (Epopeia nos Mares, 1951), Humphrey Bogart em The Enforcer (Sem Consciência, 1951), Anthony Quinn em The World in His Arms (O Mundo nos Seus Braços, 1952) e Clark Gable em The King and Four Queens (Um Rei e Quatro Rainhas, 1956). Findou a sua carreira com o western A Distant Trumpet (A Carga da Brigada Azul, 1964), quando se tornara evidente que os grandes estúdios já não apostavam no seu talento. Morreu a 31 de dezembro de 1980.
Como referenciar: Raoul Walsh in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-23 04:44:55]. Disponível na Internet: