Raúl Lino

Arquiteto português, lisboeta, nascido a 21 de novembro de 1879 e falecido a 14 de julho de 1974. Estudou em Windsor, Inglaterra (1890) e no Instituto de Hanôver, na Alemanha. Trabalhou no atelier do arquiteto alemão A. Haupt, um especialista em arquitetura medieval portuguesa. Foi um prolífico autor, responsável por mais de 700 projetos, mas ficou conhecido sobretudo pela sua obra escrita em que teoriza sobre a arquitetura portuguesa, por vezes suscitando veemente polémica. Destas obras destaca-se A casa Portuguesa (1929) onde tenta sistematizar as características específicas da arquitetura portuguesa, e propõe modelos de moradias para serem adotados pelos projetistas. Esta obra terá uma grande influência nas décadas de 30 e 40, sendo mesmo inspiradora da tentativa de criação de uma arquitetura oficial do Estado Novo e suscitando forte antagonismo da geração modernista.
Viajou muito por Portugal e pelas então colónias tomando apontamentos sobre elementos arquitetónicos da arquitetura tradicional que viria a integrar nos seus projetos.
Entre as suas obras incluem-se a Casa O'Neil, Cascais (1902), a Casa dos Patudos, Alpiarça (1904), a Casa do Cipreste, Sintra (1912), ou o Cinema Tivoli, Lisboa (1924)
Foi também nomeado Diretor-Geral dos Monumentos Nacionais em 1949, e foi Diretor da Associação Nacional de Belas-Artes, a partir de 1967.
Como referenciar: Raúl Lino in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-12 09:01:39]. Disponível na Internet: