S. Agatão

Papa italiano, monge instruído originário da Sicília, foi eleito em substituição de Dono.
O canto gregoriano, assim como um reforço à implementação da liturgia de uso romano, foram introduzidos em Inglaterra por intermédio de um abade enviado pelo papa, chamado João. No seu pontificado foram também reorganizadas as finanças da Igreja, uma vez que muitos dos seus territórios tinham sido conquistados pelo muçulmanos.
Convocou um sínodo em Roma, um em Heathfield e outro em Milão com o objetivo de definir os parâmetros da doutrina cristã. Foi também com este intuito que aceitou a sugestão do imperador Constantino IV para que se realizasse em Constantinopla uma conferência teológica para discutir o monotelismo, o nestorianismo e o monfisismo.
Nesta conferência (realizada nos anos de 680 e 681), que acabou por ser um concílio, foi aprovada a chamada Epístola de São Agatão, onde este papa expunha a sua teoria de unidade política vinculada pela Igreja, sendo o imperador senhor temporal e o papa o senhor espiritual, ambos incontestados. Foi igualmente condenado o papa Honório, por se considerar ter sido defensor do monotelismo.
Como referenciar: S. Agatão in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-25 17:11:52]. Disponível na Internet: