Santuário do Senhor da Pedra

Extramuros da vila medieval de Óbidos, o Santuário do Senhor da Pedra é um concorrido lugar de culto, devido à cruz de pedra lavrada com a imagem do Crucificado. Esta escultura religiosa - que está na origem da denominação deste templo - encontra-se exposta no interior da igreja, sendo, possivelmente, obra do século XVIII.
O Senhor da Pedra de Óbidos foi começada a erigir no ano de 1740, sob a orientação e os planos do arquiteto capitão Rodrigo Franco, vindo a ser concluído sete anos mais tarde. Porém, os seus torreões nunca foram coroados com os respetivos coruchéus.
Apesar da sua austeridade e do seu aspeto exterior pesado, este santuário denota uma influência da linguagem arquitetónica do barroco joanino. Apresenta uma planta hexagonal movimentada e que joga com os diversos planos geométricos complementares. Com efeito, esta estrutura hexagonal é envolta por panejamentos semi-circulares, por sua vez marcados por torreões laterais retangulares contrafortados, rasgados na parte inferior por átrios com três arcos de volta perfeita. As diversas fachadas do santuário são animadas por aparatosos portais barrocos e grandes janelas de contorno mistilíneo. O hexágono central é coberto por grandiosa pirâmide hexagonal de telha verde.
De planta centrada e desenhando um hexágono, o interior é grandioso e aparatoso, marcado pela linguagem barroca dos reinados de D. João V e de D. José I. O barroco setecentista mostra-se no brilho dos altares e retábulos de talha, complementados pelo colorido dos mármores, ao mesmo tempo que as imagens sagradas e as pinturas reforçam a triunfante linguagem do barroco do século XVIII. Destaque para as pinturas setecentistas de melhor qualidade, obras atribuídas a Pedro Alexandrino e a Vieira Portuense. O mobiliário também se revela aqui com alguns bons exemplares, nomeadamente o belo arcaz de madeira que se guarda na sacristia e que ilustra de forma superlativa o barroco ao tempo de D. João V.
Como referenciar: Santuário do Senhor da Pedra in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-11 02:40:33]. Disponível na Internet: