São Simão

O nome do apóstolo São Simão é mencionado em todas as passagens dos Evangelhos Sinópticos como Cananita ou Zelota, para o distinguirem de São Pedro, também Simão. Ambos os apelidos têm o mesmo significado e são uma tradução do termo hebraico qana, "zelo", significando o zelo pela lei judaica praticado antes da sua conversão ao Cristianismo e não por pertencer aos Zelotas. Os gregos e os coptas do Egito e Etiópia identificam-no com Natanael de Canaã, enquanto que na Chronicon paschale e em outras fontes é identificado com Simão Clopas. Segundo os abissínios, foi crucificado como bispo de Jerusalém depois de ter pregado o Evangelho na Samaria. São muitos os lugares onde a tradição diz ter o santo pregado o Evangelho: segundo os gregos no Mar Negro, no Egito, Norte de África e Bretanha, enquanto que a Passio Simonis et Judae latina indica a Pérsia como o local onde o santo terá pregado e sido martirizado (Suanir); ainda de acordo com Moisés de Corena, São Simão terá morrido na Ibéria; já os georgianos nomeiam Colchis como lugar de pregação. O seu túmulo é desconhecido e as informações sobre as suas relíquias são também incertas, havendo vestígios da Babilónia a Roma e desta a Tolosa. Em Roma, as suas relíquias são veneradas no altar da Crucificação do Vaticano. São Simão é representado com uma serra, dado que o seu corpo terá sido serrado, segundo a lenda, e também com uma lança. Quer na iconografia, quer na lenda, é associado a São Judas Tadeu, que tem festa a 28 de outubro. Uma tradição popular alemã, com base num jogo de palavras com o seu nome, Simão por Sie Mann (Ela Homem), fazem-no patrono dos maridos muito fracos que deixam que seja a mulher a mandar em casa. Patrono dos curtidores, é venerado na Igreja Ocidental no dia 18 de fevereiro.
Como referenciar: São Simão in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-21 03:59:53]. Disponível na Internet: