Sarah Palin

Senadora norte-americana, Sarah Louise Heath nasceu a 11 de fevereiro de 1964, em Sandpoint, Idaho, nos EUA. Quando tinha 3 anos, a sua família mudou-se para o Alasca, por motivos profissionais, e Sarah cresceu na pequena cidade de Wasilla, a cerca de 25 quilómetros de Anchorage. Sarah terminou os estudos liceais em 1982, foi coroada Miss Wasilla em 1984 e foi também uma das finalistas no concurso de Miss Alasca. Entretanto, regressou a Idaho para completar a sua formação e em 1987 licenciou-se em Jornalismo pela Universidade de Idaho. Depois disso, tornou-se jornalista desportiva na televisão, em Anchorage. Em 1988, Sarah casou com Todd Palin, com quem tem cinco filhos.
Sarah Palin entrou no mundo política em 1992 ao conseguir assento na Assembleia Municipal de Wasilla e, em 1996, foi eleita mayor da mesma cidade. Concorreu pela primeira vez pela nomeação republicana para o cargo de governadora do Alasca em 2002, mas perdeu para o outro candidato do partido, Frank Murkowski, por pouco mais de 2000 votos. Em 2003, o então governador Murkowski indicou o nome de Palin para a Oil and Gas Conservation Commission, uma entidade que tem como principal responsabilidade gerir os recursos naturais do Alasca. No entanto, Palin detetou algumas irregularidades na gestão dessa entidade e denunciou-as. Um ano mais tarde, demitiu-se alegando falta de ética nos líderes republicanos daquele Estado.
Em 2006, Palin voltou a concorrer pela nomeação republicana para o Estado do Alasca e, desta vez, derrotou Murkowski nas primárias. Em novembro do mesmo ano, derrotou o candidato democrata, o antigo governador Tony Knowles, nas eleições gerais. Palin fez história quando, a 4 de dezembro de 2006, tomou posse como governadora do Alasca, pois foi a primeira mulher e a mais jovem governadora daquele Estado. Enquanto governadora, Palin aprovou leis no sentido de reforçar a ética política e tentou tirar o máximo partido das reservas naturais do Alasca.
Sarah Palin, apesar de ser governadora do Alasca, era praticamente desconhecida nos EUA. Em 2008, passou a ser uma figura reconhecida mundialmente ao ser apresentada pelo candidato do Partido Republicano à Casa Branca, John McCain, como candidata à vice-presidência, sendo a primeira mulher republicana candidata à vice-presidência dos EUA. No entanto, a escolha de Palin foi muito criticada, principalmente pelos opositores democratas, pelo facto de se tratar de alguém com pouca experiência política. Os republicanos defenderam a sua escolha, realçando em Palin qualidades essenciais no mundo da política, como integridade, bom senso e devoção à causa pública.
Sarah Palin nunca escondeu que era conservadora e algumas das suas atitudes, ações ou afirmações não foram isentas de polémica: o seu nome esteve envolvido em suspeitas de abuso de poder, opõe-se fervorosamente ao aborto, assim como à pesquisa de células embrionárias, apoiou a inclusão de uma lei que proíbe o casamento homossexual na Constituição do Alasca e é membro efetivo da National Rifle Association, um poderoso lobby das armas nos EUA.
O Partido Republicano acabou por ser derrotado nas eleições presidenciais de 2008 pelo Partido Democrata e o candidato Barack Obama foi eleito presidente dos EUA. Após a derrota, Palin regressou ao Alasca para terminar o seu mandato como governadora.
Como referenciar: Porto Editora – Sarah Palin na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-08-02 20:34:23]. Disponível em