Saul Zaentz

Produtor norte-americano, Saul Zaentz nasceu a 28 de fevereiro de 1921, em Passaic, New Jersey. Filho de europeus de leste, desenvolveu cedo a sua paixão pela literatura, música, teatro e cinema. Em 1948, depois de combater na Segunda Guerra Mundial, instalou-se em São Francisco para trabalhar numa companhia de distribuição de discos. Em 1954, mudou-se para Nova Iorque, onde trabalhou como manager em digressões de grandes nomes do jazz. Um ano depois, regressou a São Francisco para trabalhar na Fantasy Records, empresa que acabaria por comprar em 1967. A empresa tornou-se um grande sucesso, especialmente quando gravou os Creedence Clearwater Revival.
Depois de fazer muito dinheiro na música, Zaentz resolveu dedicar-se ao cinema. Atingiu a aclamação logo na sua estreia, em 1975, com One Flew Over the Cuckoo's Nest (Voando Sobre um Ninho de Cucos), de Milos Forman. Coproduzido com Michael Douglas, foi um enorme sucesso comercial e artístico, arrecadando os cinco Óscares mais importantes. A seguir, em 1978, produziu dois filmes de pouco sucesso: Three Warriors e a versão animada de The Lord of the Rings, o clássico de J.R.R. Tolkien, realizada por Ralph Bakshi. Em 1984, regressou à ribalta com a produção de mais um filme de Milos Forman, Amadeus, vencedor de oito Óscares. Por esta altura, cimentou o seu prestígio, envolvendo-se nos seus filmes em todas as fases, desde a aquisição dos direitos das obras que pretendia adaptar, até ao acompanhamento das filmagens e às fases de montagem, promoção e distribuição. Em 1986, produziu o excelente The Mosquito Coast (A Costa de Mosquito), de Peter Weir, que não obteve o esperado sucesso. Dois anos depois, produziu uma das melhores adaptações literárias ao cinema, The Unbearable Lightness of Being (A Insustentável Leveza do Ser), de Philip Kaufman, a partir do livro de Milan Kundera. Em 1991, foi a vez de At Play in the Fields of the Lord (A Brincar nos Campos do Senhor), de Hector Babenco, seguindo-se mais um esmagador sucesso: The English Patient (O Paciente Inglês, 1996). Baseado no romance de Michael Ondaatje, este filme foi realizado por Anthony Minghella e obteve 11 nomeações para os Óscares, vencendo em nove categorias, incluindo a de Melhor Filme (o terceiro da carreira de Zaentz). Nesse mesmo ano, recebeu o Irving Thalberg Memorial Award pela sua contribuição para a produção cinematográfica de alta qualidade. A sua companhia de produção possui também o Saul Zaentz Film Center, um espaço de excelência dedicado à fase de montagem e pós-produção de filmes de estúdios ou de cineastas independentes.
Como referenciar: Saul Zaentz in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-20 10:37:52]. Disponível na Internet: