Singapura

Geografia
País do Sudeste Asiático. Compreende a ilha de Singapura e cerca de 60 pequenas ilhas, com uma superfície total de 692,7 km2. Situa-se junto ao extremo sul da península da Malásia e a norte do equador. O estreito de Malaca, a sudoeste, separa Singapura da ilha indonésia de Samatra. A capital é a cidade de Singapura, administrativamente equivalente à república de Singapura. Este país recebe água da Malásia à qual está ligado por uma estrada construída sobre um dique. Domina a estreita passagem do Sudeste Asiático que liga a Índia ao oceano Pacífico e possui uma enseada de águas profundas.

Clima O clima é equatorial.

Economia
Singapura, uma antiga base naval britânica, tem hoje uma economia de mercado baseada no negócio e nas finanças. A cidade dispõe de bons serviços de telecomunicações e ligações aéreas, sendo o aeroporto de Changi o mais importante da região. O rendimento per capita é o mais elevado do Sudeste Asiático. A agricultura é insignificante mas a indústria da prospeção de petróleo encontra-se bastante desenvolvida. Os principais parceiros comerciais de Singapura são os Estados Unidos da América, a Malásia, o Japão e a Tailândia.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 13,7.

População
A população de 4 492 150 habitantes (2006) é, na sua maioria, chinesa e essencialmente urbana. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 9,34%o e 4,28%o. A esperança média de vida é de 81,71 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,884 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,880 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 8 316 000 habitantes. As principais etnias são a chinesa (77%), a malaia (14%) e a indiana (7%). As confissões religiosas mais seguidas o budismo (32%), o tauismo (22%), o islamismo (15%) e o cristianismo (13%). Uma grande parte da comunidade chinesa provém das províncias de Fukien e Kwangtung, falando uma multiplicidade de dialetos. As línguas oficiais são o inglês, o chinês, o malaio e o tâmil.

História
Singapura fez parte de um império mercantil de Samatra no século XIII. Destruída pelos Javaneses em 1376, só quando estava a ser invadida pela selva, em 1819, é que o explorador Stamford Raffles, da Companhia das Índias Orientais Britânicas, a descobriu. Raffles arrendou-a ao sultão de Johor e sete anos mais tarde passou a fazer parte da nova colónia dos Straits Settlements. Com o desenvolvimento da Malásia no século XX tornou-se um dos mais importantes portos exportadores de estanho e de borracha. Entre 1924 e 1938, os Ingleses construíram a sua maior base naval do Extremo Oriente em Sembawang e Singapura tornou-se um importante centro de manutenção de navios. Apesar de estar fortificada contra ataques vindos do mar, na Segunda Guerra Mundial os Japoneses atacaram-na através da Malásia. No após-guerra foi alvo de atentados terroristas e a Malásia conseguiu adquirir autonomia governativa em 1959. Singapura foi integrada na Federação da Malásia em 1963 mas, dois anos mais tarde, tornou-se uma república independente. A voz política dominante em Singapura é o primeiro-ministro Lee Kuan Yew.
Como referenciar: Singapura in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-14 01:45:18]. Disponível na Internet: