Tebas (Egito)

Cidade egípcia situada nas margens do rio Nilo, em grande parte ocupada pelas cidades de Luxor e de El-Carnaque. Para os egípcios esta cidade era conhecida como No-Ámon, a Cidade de Ámon e só no tempo dos gregos recebe o nome de Tebas ou de Diospolis. Ámon, o deus de Tebas cujo nome significa escondido, representava inicialmente as forças reprodutivas, depois este foi renomeado Ámon-Ra, o "rei dos deuses", passando a constituir uma das três divindades protetoras da cidade. Amunet, a deusa do Céu, ou Mut, e o seu filho Khonsu, o deus da Lua, perfaziam as outras duas divindades de Tebas. O templo de Ámon-Ra em Carnaque representa um dos melhores e mais bem preservados templos de Tebas e mesmo do Egito antigo. Com os faraós da nona e décima dinastias (2160-2025 a. C.) a cidade desenvolveu-se como centro administrativo dos governadores.
Tebas compreende uma avenida de esfinges, um conjunto de túmulos e outros monumentos erigidos em volta da cidade durante este período, vindo a desenvolver-se ainda mais com os faraós das 19.a e 20.a dinastias, que adicionaram algum esplendor a esta cidade.
Os monumentos principais de Tebas são os templos de Carnaque e de Luxor, os túmulos dos faraós no Vale dos Reis, os Colossos de Mémnon e os templos funerários de Ramsés II, de Ramsés III e da rainha Hatshepsut.
A antiga Tebas e a sua necrópole foram classificadas Património Mundial pela UNESCO.
Como referenciar: Tebas (Egito) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-20 22:28:43]. Disponível na Internet: