Templo de Apolo (tragicomédia)

Representada em 1526, em Almeirim, aquando da partida da Infanta D. Isabel (filha de D. Manuel I) para casar com o imperador Carlos V.

Personagens: Apolo, Porteiro do templo, Vilão, os romeiros Vencimento, Mundo, Templo Glorioso, Cetro Omnipotente; as romeiras Flor da Gentileza, Fama, Gravidade e Sabedoria.

Argumento: Trata-se de uma peça alegórica, cujo objetivo consiste em realçar as qualidades do imperador e da futura imperatriz, D. Isabel.
A personagem Apolo decreta que no seu templo apenas permitirá a entrada de romeiros que pertençam à casa do imperador e da nova imperatriz. As alegorias / romeiros que representam as qualidades dos noivos desfilam perante a audiência. As personagens que se identificam com o imperador são o Mundo, o Vencimento, o Cetro Omnipotente e o Templo Glorioso. À imperatriz cabem as personagens Flor de Gentileza, Fama, Gravidade e Sabedoria. Todas elas são admitidas no templo e a peça termina com canto e dança em honra dos noivos.
Como referenciar: Templo de Apolo (tragicomédia) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-19 19:26:27]. Disponível na Internet: