Tony de Matos

Considerado "o cantor romântico" da canção portuguesa, nome artístico do cantor António Maria de Matos, nasceu a 28 de setembro de 1924, no Porto. Desde a infância tomou contacto com o mundo artístico, pois seus pais eram atores.
Aos 20 anos começou a participar em espetáculos de variedades, assinando também o seu primeiro contrato como cantor com o Café Luso, na altura considerado "a catedral do fado".
Estreou-se em 1950, gravando em Madrid. Dois anos mais tarde, estreou-se no teatro, na revista Cantigas Ó Rosa. Teve atuações esporádicas no teatro, cinema e televisão. Em 1953, internacionalizou-se, cantando em São Paulo, Brasil e efetuando uma digressão por Angola. Em 1957 regressou ao Brasil, onde viveu durante seis anos, abriu um restaurante típico, "O Fado", e gravou alguns dos temas que mais o celebrizaram, tais como "Só Nós Dois", "Vendaval", "Lado a Lado" e "Lugar Vazio".
De regresso a Portugal, na década de 60, continuou a trabalhar em teatro e a gravar sucessos, dos quais se destaca "O Destino Marca A Hora". Participou no filme A Canção da Saudade, onde contracenou com a atriz Clara Rocha. Outras aparições no grande ecrã incluem Rapazes de Táxis, Derrapagem e O Destino Marca a Hora.
Após o 25 de abril, teve que manter residência nos EUA, uma vez que a sua música era associada ao antigo regime. Viveu oito anos fora de Portugal. Quando regressou, teve oportunidade de participar em diversas revistas e foi convidado por Vitorino para um espetáculo, em 1985, no Coliseu dos Recreios. Pouco tempo depois, lançou o álbum Romântico.
Em julho de 1988, a sua carreira tomou novo impulso com a edição do álbum Cantor Latino.
Faleceu a 8 de junho de 1989, em Lisboa, na sequência de uma delicada intervenção cirúrgica.
Durante a sua prolífica carreira, aquele que é considerado "o cantor romântico" da música portuguesa recebeu dois prémios Imprensa - um como cançonetista e outro como fadista.
Da sua extensa lista de sucessos destacam-se temas como "Coitado do Zé Maria", "Quarto Alugado", "De Bar em Bar", "A Tal", "Quando Cai uma Mulher", "Poema do Fim", "Só Nós Dois é que Sabemos", "Hás de Pagar", "Tu Sabes Lá", "Vendaval", "Vou Trocar de Coração" e "Maria do Céu".
Como referenciar: Tony de Matos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 04:47:10]. Disponível na Internet: