Tratado de Paz de Amiens

Tratado de paz assinado a 27 de março de 1802 pela Grã-Bretanha, de um lado e, do outro, a França, Espanha e a República da Batávia, o Estado-fantoche de Napoleão nos Países Baixos.
Este tratado terminou com a Guerra da Segunda Coligação, uma das Guerras Napoleónicas, já perto do final, com o Tratado de Paz de Luneville de 1801.
Pelos termos do Tratado de Amiens, a Grã-Bretanha deveria ceder à França e aos Aliados franceses todas as conquistas britânicas exceto o Ceilão, hoje denominado Sri Lanka, e a ilha de Trinidade, nas Antilhas. A França acordou deixar o Egito, Nápoles e os Estados Pontíficos. Entre os territórios a Grã-Bretanha deveria entregar o Cabo da Boa Esperança à República de Batávia e Malta à Ordem dos Cavaleiros de Malta. Nenhum dos pressupostos deste tratado foi completamente respeitado e as hostilidades reacenderam-se em 1803.
Como referenciar: Tratado de Paz de Amiens in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-13 19:49:28]. Disponível na Internet: