Venturi

Arquiteto norte-americano, nascido em 1925, Robert Venturi estudou na Universidade de Princeton, onde concluiu a sua licenciatura em 1947 e o mestrado em 1950. Em 1954 obteve uma bolsa de estudo que lhe permitiu, durante dois anos, estudar em Roma, onde pôde admirar os grandes exemplos da arquitetura renascentista e barroca.
No início da sua carreira trabalhou com Eero Saarinen e Louis I. Kahn, tendo em 1966 publicado o livro que atraiu a atenção sobre o arquiteto e a sua obra: A Complexidade e Contradição na Arquitetura, em que defende não ser possível uma postura única na atividade de projeto, mas antes tantas quantos os percursos sofridos ao longo da história da arquitetura. Deste modo pretende uma maior integração do objeto construído no âmbito da cidade, que, pela diversidade de influências que contém, recusa as propostas descontextualizadas do Movimento Moderno. A negação do estilo internacional, bem como a resposta "Less is bore" ("Menos é aborrecido") à famosa máxima de Mies van der Rohe "Less is more" ("menos é mais") valeu-lhe o epíteto de pós-modernista, o qual recusa veementemente, pois, ao contrário do que defende este movimento, Venturi não pensa ser possível fazer uso de um aglomerado de citações do legado histórico da arquitetura, antes pretende que esta já encerra um conjunto de soluções que se adaptam a circunstâncias a ponderar de projeto para projeto. Independentemente da categorização do arquiteto, o certo é que é Venturi que abre o campo para um novo conjunto de experiências arquitetónicas que declaram o Modernismo obsoleto, tanto ideológica como formalmente.
A Casa Vanna Venturi (1961-1964), construída para a sua mãe, foi um dos seus primeiros projetos e mantém-se como uma das principais referências na sua obra, pois embora apresente grande simplicidade trabalha elementos plásticos até à altura descurados pelo purismo moderno, como a imponente chaminé que preside a uma cobertura inclinada.
Em 1969, a sua mulher, Denise Scott-Brown (1930-), torna-se sócia no seu gabinete de arquitetura, publicando no ano de 1972 em conjunto com o seu marido e Steven Izenour Learning from Las Vegas, onde debatem o crescimento das cidades.
De entre o conjunto da sua obra, destacam-se ainda a Casa Tucker (1975), em Nova Iorque, o Gordon Wu Hall (1983), em New Jersey, e a ampliação do Allen Art Museum (1973-1976), no Ohio, obras onde mais uma vez procura inúmeras referências na criação de um todo eclético, mas que se pretende integrado.
De destacar ainda a sua atividade na Docência, iniciada em 1957, quando se torna Professor na Universidade da Pensilvânia, Filadélfia, tendo igualmente lecionado em instituições como Yale, Princeton, Harvard e na Academia Americana em Roma.
Finalmente, de entre os prémios e distinções obtidas no conjunto da sua carreira, destaca-se o Prémio Pritzker de 1991, que o coloca entre as mais importantes referências da arquitetura do período pós-Modernismo.
Como referenciar: Venturi in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-17 00:51:15]. Disponível na Internet: