Willard Boyle

Físico canadiano, Willard Sterling Boyle nasceu a 19 de agosto de 1924 em Amherst, Nova Scotia. Boyle frequentava a Universidade McGill quando, em 1943, integrou a Royal Canadian Navy, durante a Segunda Guerra Mundial, interrompendo assim os seus estudos. Estes foram depois retomados e terminou a licenciatura em 1947, o mestrado em 1948 e o doutoramento em 1950, na Universidade McGill. Depois do seu doutoramento, Boyle esteve no Laboratório de Radiação do Canadá durante um ano e no Royal Military College do Canadá, durante dois anos, enquanto professor de Física.
Em 1953, integrou o Laboratório Bell onde patenteou um laser de injeção semicondutor. Foi nomeado diretor da Ciência Espacial e Estudos Exploratórios numa subsidiária do Laboratório Bell, apoiando o programa espacial Apollo. Em 1964, regressou ao Laboratório onde trabalhou no desenvolvimento de circuitos integrados. Foi diretor de investigação naquela instituição desde 1975 até à sua reforma em 1979.
Em 1969, Willard Boyle e George Smith inventaram o sensor CCD (charge-coupled device), um circuito semicondutor de imagens. Esta descoberta valeu-lhes a atribuição de diversos prémios: a Medalha Stuart Ballantine, pelo Instituto Franklin, em 1973, o Prémio IEEE Morris N. Liebmann, em 1974, o Prémio Charles Strak Draper, em 2006 e o Prémio Nobel da Física, em 2009. O Prémio Nobel da Física foi partilhado com o investigador Charles Kao devido às descobertas que empreendeu no domínio da transmissão da luz em fibras óticas.
O CCD é um sensor de imagens digitais estando convertido num olho eletrónico usado em quase todos os campos da fotografia. O Comité Nobel realçou a importância desta invenção tendo em conta a sua utilidade “para a vida quotidina” e “para a exploração científica”.
Como referenciar: Porto Editora – Willard Boyle na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-12-06 12:27:09]. Disponível em