Zâmbia

Geografia

País da África Austral. Faz fronteira com a República Democrática do Congo, a norte, a Tanzânia, a nordeste, o Malawi e Moçambique, a leste, o Zimbabwe, o Botswana e a Namíbia, a sul, e Angola, a oeste. Abrange uma área de 752 618 km2. As principais cidades são Lusaca, a capital, com 2 179 000 habitantes (2015), Ndola, Kitwe e Kabwe.

O país é constituído, na sua maior parte, por um planalto, situado entre 900 e 1500 metros de altitude. A fronteira sul do país é delimitada pelo rio Zambeze e a fronteira sudoeste pelo deserto do Calaári. A Zâmbia é drenada pelos rios Congo e Zambeze que, na fronteira com o Zimbabwe, perto de Livingstone, tem um enorme desnível no leito, formando as cataratas de Vitória (no Zimbabwe), as mais altas do mundo.


Clima

Tem um clima tropical de altitude. No Sul, o clima é mais seco.


Economia

A economia zambiana depende fundamentalmente da extração mineira. O cobre é o único produto que tem oferecido algum desenvolvimento à Zâmbia e constitui 95% das exportações. As minas foram nacionalizadas a seguir à independência, pelo que a flutuação dos preços mundiais do cobre afeta diretamente a economia deste país africano. A agricultura, de raiz tradicional, só consegue exportar algum tabaco.

Os principais parceiros comerciais da Zâmbia são a África do Sul, o Japão, a Arábia Saudita e o Reino Unido.


População

A Zâmbia tinha, em 2015, 15 972 000 habitantes, 42% dos quais vivendo nas cidades. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 41.5%o e 12,2%o (2017). A esperança média de vida é de 52,7 anos.

Os principais grupos étnicos são os Bemba (21%), os Tonga (13.6%) e os Chewa (7.4%). O cristianismo é maioritário, sendo os protestantes 75.3%, os católicos 20.2%. A maioria dos zambianos fala o banto, existindo ainda oitenta dialetos, mas a língua oficial é o inglês.


História

O êxodo para as cidades ocorreu principalmente após a independência. O processo de colonização teve início em 1890 sob a égide da Companhia Inglesa da África do Sul. A evolução das estruturas políticas deve-se em parte à criação do sindicato dos mineiros que progressivamente veio contrabalançar a influência dos europeus. A 24 de outubro de 1964 o antigo protetorado britânico da Rodésia do Norte tornou-se o Estado soberano da Zâmbia.

O governo que resultou das eleições de 1991 tomou medidas no sentido de promover a livre iniciativa empresarial para evitar o declínio agrícola e industrial. Nas eleições de 2001 foi eleito presidente Levy Mwanawasa que, numa campanha anticorrupção levada a cabo em 2002, levou à prisão o anterior presidente Frederick Chiluba e muitos dos seus apoiantes.
Como referenciar: Porto Editora – Zâmbia na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-06-15 05:28:11]. Disponível em