Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe

O Livro de San Michele

Axel Munthe

Peregrinação

Fernão Mendes Pinto

1 min

conjunção
favoritos

De acordo com a gramática tradicional, as conjunções são palavras que servem para relacionar duas frases (orações) ou dois termos semelhantes da mesma frase (oração). Não desempenham funções sintáticas na frase a que pertencem, desempenhando apenas a função de elementos de ligação sintática e semântica, contribuindo para a coesão do texto ou do discurso.
As conjunções têm forma invariável, isto é, não se modificam, como os nomes e adjetivos, em género e número, ou como os verbos, em modo, tempo, pessoa e número e constituem uma lista fechada à introdução de novas conjunções.
As conjunções introduzem frases (orações) e classificam-se em dois tipos: coordenativas e subordinativas, de acordo com o tipo de frase (oração) e de ligação (coordenada ou subordinada) que introduzem.

As conjunções coordenativas são conectores frásicos que podem introduzir frases (ex.: Olha: nem vou contigo, nem fico aqui.); grupos nominais (ex.: Compro livros ou revistas.) ; grupos adjetivais (ex.: Queres uma camisola azul ou verde.) ; grupos verbais (ex.: Na praia, leio livros e faço exercício físico.) ; grupos preposicionais (ex.: Gosto de praia e de mar.) ou grupos adverbiais (ex.: Vais lá hoje ou amanhã.).
 

Nota: As preposições também podem introduzir frases ou grupos nominais, no entanto, as conjunções coordenativas, ao contrário das preposições, podem preceder preposições (ex.: O João foi à escola e ao cinema. * João foi à escola ao e cinema.).
As conjunções coordenativas podem estabelecer relações de adição, alternância, oposição, conclusão, etc.

As conjunções subordinativas ligam apenas orações, sendo que a oração subordinada completa o sentido da outra e desempenha uma função sintática na relação com a subordinante:
Quando saíres, telefona. (função sintática de complemento circunstancial de tempo)
O ministro disse que a ordem seria mantida. (função sintática de complemento direto)
As conjunções subordinativas estão classificadas numa tipologia com critérios semânticos, que as distribuem segundo o significado da relação que introduzem. As conjunções subordinativas estabelecem assim relações de tempo, causa, concessão, consequência, condição, etc., como se pode ver na seguinte tabela:


As conjunções integrantes são as únicas que não introduzem relações semânticas (de tempo, causa), mas apenas sintáticas, porque introduzem uma oração que tem funções equivalentes às desempenhadas por um nome.

Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – conjunção na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-02-23 12:54:05]. Disponível em
Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – conjunção na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-02-23 12:54:05]. Disponível em

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe

O Livro de San Michele

Axel Munthe

Peregrinação

Fernão Mendes Pinto