Geração D

Carlos de Matos Gomes

Amar em caso de emergência

Vera dos Reis Valente

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe

1 min

forma
favoritos

Em linguística geral, forma é uma palavra polissémica apenas definível em função dos pares de oposições em que tem sido usada. Mas, em geral, este termo tem designado a dimensão não semântica da língua, ou seja, os seus níveis fonético, morfológico e sintático, relacionáveis num eixo sintagmático. Seguem-se algumas oposições clássicas:
Forma vs matéria (Aristóteles e tradição clássica): forma designava os planos linguísticos não semânticos, nomeadamente a fonética, a morfologia e a sintaxe, ao passo que matéria correspondia ao conteúdo, às figuras de estilo, à semântica da língua.
Forma vs sentido (distribucionalismo): a forma era o único plano da língua observável e portanto, o único a constituir objeto de análise para o linguista.
Forma vs função (funcionalismo): a forma designa as propriedades fonológicas e gramaticais dos morfemas, das palavras e das frases.
Forma vs substância (glossemática): após ter distinguido os planos da expressão e do conteúdo, Hjelmeslev estabeleceu outra dicotomia, a forma vs substância. O estudo da forma do conteúdo e da forma da expressão constituem o objeto da linguística, uma vez que a língua não é substância, mas forma. A forma é assim aquilo que distingue no plano auditivo duas frases em duas línguas diferentes, ainda que possuam o mesmo sentido.
Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – forma na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-06-25 10:59:19]. Disponível em

Geração D

Carlos de Matos Gomes

Amar em caso de emergência

Vera dos Reis Valente

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe