Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe

O Livro de San Michele

Axel Munthe

Peregrinação

Fernão Mendes Pinto

2 min

Fred Eggan
favoritos

Antropólogo social norte-americano, Fred Russel Eggan nasceu 12 de setembro de 1906, em Seattle (EUA), e faleceu a 7 de maio de 1991. Desenvolveu a sua carreira de professor e investigador em Antropologia Social. Licenciou-se em Psicologia, mas o seu interesse em culturas e lugares distantes levou-o a decidir-se pela Antropologia. Foi aluno de Edward Sapir e de Radcliffe-Brown, de quem foi igualmente assistente de investigação. Após trabalho de campo no Oeste dos Estados Unidos, Eggan concluiu em 1933 a sua tese de doutoramento, uma análise estrutural-funcional dos Hopi, um povo e sociedade Pueblo. Seria, aliás, sobre os povos Pueblo que Eggan desenvolveria a maior parte dos seus trabalhos de campo e obras em Antropologia.
Fred Eggan manteve uma ligação institucional, enquanto docente e investigador, com a Universidade da Califórnia entre 1934 e 1974, tendo chegado também a ser aluno da universidade entre meados dos anos vinte e 1933. Ficou-se a dever igualmente a Eggan, que chefiou o departamento de Antropologia daquela universidade entre 1948-1952 e 1961-1963, a excelente reputação do curso na instituição nos meados do século XX.
Entre 1934 e 1935, Eggan investigaria fora dos Estados Unidos, nomeadamente no norte das Filipinas, onde se debruçou sobre questões de mudança cultural e social, relacionando as influências europeias com as dinâmicas das estruturas sociais internas.
Seria após a Segunda Guerra Mundial que surgiriam os mais relevantes resultados do trabalho académico de Fred Eggan, principalmente com a publicação de uma versão alargada e atualizada da sua tese de doutoramento, a sua mais importante obra, designada Social Organization of the Western Pueblos (1950). Neste trabalho, Eggan apresenta os traços fundamentais da sociedade Hopi, comparando-os com outras quatro sociedades Pueblo ocidentais, defendendo a teoria de que existe uma uniformidade entre aquelas, em termos de organização social e, simultaneamente, que, apesar das aparentes semelhanças, são diferentes os sistemas sociais entre os Pueblos orientais e ocidentais. Nesta obra, pratica o método que batizou como "método de comparação controlada", que consistia no estudo comparativo de sociedades ligadas por proximidades e semelhanças históricas, geográficas, ou culturais.
A análise realizada por Eggan neste trabalho, continua a ser considerada uma obra-prima da antropologia americana e representa um excelente exemplo do tipo de abordagem académica protagonizado por Eggan, caracterizada por um equilíbrio raro entre a escola britânica de antropologia social, de cariz estrutural-funcionalista, e a escola americana, mais ligada aos processos culturais e históricos, retirando o que de melhor possuem as duas tradições e evitando os seus principais defeitos. No final da sua carreira, Eggan dedicou especial atenção à história da antropologia.
Outras obras importantes de Eggan:
1928, An Experimental Study of Attitudes Towards Race and Nationality
1933, The Kinship System and Social Organization of the Western Pueblos with Special Reference to the Hopi Indians
1937, Social Anthropology of North American Tribes (editor)
1966, The American Indian: Perspetives for the Study of Social Change
1975, Essays in Social Anthropology and Ethnology
Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – Fred Eggan na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-02-26 21:58:11]. Disponível em

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe

O Livro de San Michele

Axel Munthe

Peregrinação

Fernão Mendes Pinto