Geração D

Carlos de Matos Gomes

Amar em caso de emergência

Vera dos Reis Valente

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe

1 min

Lenda de Santa Joana Princesa
favoritos

A princesa D. Joana, filha do rei Afonso V, revelou desde muito tenra idade uma grande vocação religiosa.
Apesar de viver na corte afastava-se de festas e convívios, preferindo rezar e meditar.

Dizia-se que D. Joana era muito bela mas, alegando a sua intenção de se tornar freira, recusava todos os pretendentes.
Com a autorização real, entrou para vários conventos.
O seu preferido era o de Jesus em Aveiro, onde queria professar. Mas a ideia não agradava nem ao rei nem ao povo.

Perante tanta discórdia D. Joana decidiu não professar, mas declarou que usaria o véu de noviça para sempre.
Insistiu em ingressar no Convento de Jesus, vivendo na humildade e na pobreza e aplicando as rendas que possuía no socorro aos pobres.
A sua caridade era tão grande que depressa ficou conhecida como santa.
Um dia, a princesa adoeceu de peste e morreu em grande sofrimento.
Quando o seu enterro passou pelos jardins do convento, as flores que ela havia tratado em vida caíam sobre o seu caixão prestando-lhe uma última homenagem.
Este acontecimento foi considerado o primeiro milagre de Santa Joana Princesa.
A partir de então, muitos outros lhe foram atribuídos e, duzentos anos depois, o Papa Inocêncio XII concedeu a beatificação a esta infanta de Portugal.

Partilhar
  • partilhar whatsapp
Como referenciar
Porto Editora – Lenda de Santa Joana Princesa na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2024-05-30 10:09:52]. Disponível em

Geração D

Carlos de Matos Gomes

Amar em caso de emergência

Vera dos Reis Valente

Deus na escuridão

Valter Hugo Mãe