comprar

com.prar
kõˈprar
verbo transitivo
1.
adquirir (bem, serviço) mediante pagamento
2.
conseguir, alcançar (algo) como resultado de uma ação ou situação
3.
dar dinheiro ou valores a (alguém) em troca de algo ilegal ou condenável; subornar
4.
em certos jogos, tirar ou pedir (uma ou mais) cartas do baralho
5.
acreditar em ou aceitar (desculpa, explicação, etc.)
quem desdenha quer comprar
diz-se das pessoas que mostram desprezo por alguma coisa que, na realidade, gostariam de ter
Do latim clássico comparāre, pelo latim vulgar comperāre, «comparar; comprar»
VER +
VEJA TAMBÉM
VER +
Como referenciar: comprar in Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-24 07:22:47]. Disponível na Internet:

PROVÉRBIOS

  • A comprar cavalo e a escolher fecha os olhos e encomenda-te a Deus.
  • A par de ria, não compres vinha, nem olival, nem casaria.
  • Abre um olho para vender e dois para comprar.
  • Caro compra quem roga.
  • Enquanto que tolos dão, ajuizados não compram.
  • Mais barato é o comprado do que o pedido.
  • Mais caro é o dado que o comprado.
  • Não compres burro de recoveiro, nem cases com filha de estalajadeiro.
  • Não compres gato por lebre.
  • Não compres malhada, nem vinha desamparada.
  • Não se queixe do engano quem pela amostra compra o pano.
  • Natal à sexta-feira, por onde puderes semeia; domingo vende bois e compra trigo.
  • Quem assistiu à praça, ou comprou ou vendeu.
  • Quem compra caro, vende barato.
  • Quem compra e vende, lá se entende.
  • Quem compra fiado, paga dobrado.
  • Quem compra pão de praça e vinho de taverna, filhos alheios governa.
  • Quem compra sem poder, vende sem querer.
  • Quem desdenha quer comprar.
  • Quem diabos compra, diabos vende.
  • Quem não tem que fazer, compra galinhas e torna-as a vender.
  • Quem regateia, quer comprar.
VER +