raposa

/ô/
ra.po.sa
ʀɐˈpozɐ
nome feminino
1.
ZOOLOGIA designação comum, extensiva a diferentes mamíferos carnívoros da família dos Canídeos, sobretudo do género Vulpes, de porte inferior ao do lobo, pernas curtas, focinho pontiagudo, orelhas eretas e cauda comprida
2.
ZOOLOGIA (Vulpes vulpes) mamífero com ampla distribuição no hemisfério norte que ataca aves e pequenos mamíferos, de que se alimenta; apresenta cauda volumosa e pelagem de coloração variável (arruivada, castanha, parda ou preta), geralmente mais clara no ventre e mais escura nas extremidades dos membros; raposa-vermelha
3.
pele de algum desses animais, preparada para agasalho
4.
gíria académica reprovação em exame
5.
figurado pessoa astuta e/ou manhosa
6.
regionalismo espécie de cesto de vindima
7.
jogo popular
8.
conjunto de raízes (de plantas) que se introduzem nos canos condutores da água
9.
coloquial bebedeira
Do latim rapu-, «rabo», pelo castelhano rabosa e raposa «raposa»
raposa
forma do verbo raposar
3.ª pessoa do singular do presente do indicativo de raposar
2.ª pessoa do singular do imperativo de raposar
Como referenciar: raposa in Dicionário infopédia da Língua Portuguesa [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-17 04:36:00]. Disponível na Internet:

PROVÉRBIOS

  • Com raposa é bom ser manhoso.
  • Consegue a raposa o que o leão não alcança.
  • Conselho de raposas, morte de galinha.
  • Está a chover e a fazer sol e a raposa a encher o fole.
  • Quando a raposa anda aos grilos, mal da mãe, pior dos filhos.
  • Raposa que dorme, não apanha galinhas.
  • Raposa que muito tarda, caça aguarda.
  • Raposa que vai à vinha, mal da mãe, pior da filha.
  • Sabe muito a raposa, mas quem a apanha sabe mais.
VER +