A Baía dos Tigres

A Baía dos Tigres, primeiro romance de Pedro Rosa Mendes, introduziu o jornalista no panorama literário, recolhendo a unanimidade da crítica e do público português. Relato vivenciado de uma viagem feita pelo autor entre a costa de Angola e a contra-costa de Moçambique, com passagens mais ou menos longas pelo Sul do Congo, pela Zâmbia, Zimbabwe e Malawi, o romance rapidamente conquistou o mercado livreiro.

Refletindo o prazer de ouvir os contadores de histórias, A Baía dos Tigres, obra classificada como novela nas duas primeiras edições, resulta de um cruzamento do real com a ficção, onde se misturam histórias inventadas assentes na realidade e histórias reais assentes na ficção. Assim, diz o autor, "É o multiplicar a mentira a partir de coisas que realmente existiram", havendo, conforme palavras do jornalista Javier Garcia do jornal espanhol El País, uma mescla de personagens reais que contam histórias fictícias e de personagens ficcionadas que contam histórias reais.
Vivenciada em determinados momentos e espaços do continente africano, a viagem narrada nesta obra tenta retratar as angústias vividas por uma população anónima que quotidianamente contacta com uma realidade atroz, decorrente de conflitos, guerras e incertezas.

Escrito em casa dos pais, na Beira Baixa, num "ritmo impressionante ", nos tempos que tinha livres da atividade do jornal Público, o romance rapidamente obteve um êxito editorial, dentro e fora de fronteiras, exigindo dos editores a sua tradução em várias línguas, nomeadamente o espanhol.

Com uma carreira essencialmente jornalística, o autor, ao assumir a mudança do registo jornalístico para o registo do texto literário, tem como objetivo a possibilidade de fazer a sua própria reflexão sobre a realidade que "olha", explicando e expondo a sua visão sobre um quotidiano diferente, constituindo-se assim como um narrador homodiegético e subjetivo que observa e opina sobre as situações que se lhe deparam.

Faz parte de uma coleção gerida, em Itália, pelo escritor sul-americano, Luís Sepúlveda.

Prémio Pen Club 2000, A Baía dos Tigres narra as aventuras de um trajeto, idealizado e concretizado por Pedro Rosa Mendes, 100 anos depois de Capello e Ivens o terem feito corajosamente.
Como referenciar: A Baía dos Tigres in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 00:43:00]. Disponível na Internet: