A Tragédia da Rua das Flores

Romance de Eça de Queirós, escrito em Newcastle, entre 1877 e 1878. A obra permaneceu mais de cem anos entre os manuscritos inéditos do autor, sendo publicada postumamente em 1980, altura em que deixou de estar na posse dos herdeiros e passou a pertencer ao domínio público.

É provável que a família do escritor tenha recusado a publicação do livro devido não só à polémica do tema abordado, a relação entre Genoveva e Vítor (que se torna incestuosa pelo reconhecimento destas personagens como mãe e filho), como também ao realismo chocante de algumas passagens.
A editora Livros do Brasil publicou uma versão do romance, em 1981, denominando-a "Edição Diplomática".

Existem várias versões do romance, contudo, nenhuma edição crítica. Para alguns, A Tragédia da Rua das Flores constitui um esboço de Os Maias, para outros, uma aproximação à obra O Primo Basílio.

A narrativa centra-se na figura de Joaquina (mais tarde conhecida por Genoveva) que casa com Pedro da Ega. O casal vive em Lisboa. Depois do nascimento do filho Vítor, Joaquina abandona o marido e a criança e foge, com um espanhol, para Espanha, onde se torna cortesã. Mais tarde, em Angola, morre Pedro da Ega.

A personagem principal volta a casar, agora, com um velho senador francês, M. de Molineux, passando a viver em Paris. No entanto, com a queda de Napoleão Bonaparte e a morte do marido, Joaquina regressa a Portugal, com o brasileiro Gomes; mantém o nome que adotara em França, Mme Genoveva de Molineux.

Instala-se na Rua das Flores e envolve-se com Dâmaso de Mavião, homem rico de quem se aproveita, sem escrúpulos. Mas é por Vítor, um jovem de vinte e três anos, bacharel em Direito, que se apaixona.

Genoveva afasta-se então de Dâmaso e começa a projetar o seu regresso a Paris com o novo amante. Perante a situação, o tio do jovem, Timóteo, detentor de toda a verdade, dá a conhecer a Genoveva que ela é a mãe de Vítor.

Reconhecendo o carácter incestuoso da sua relação, Genoveva suicida-se, atirando-se da varanda da sua casa, diante do jovem, que nunca saberá a verdadeira identidade da amante.

Em 1981, o livro foi adaptado para uma série televisiva portuguesa, com título homónimo, dirigida por Ferrão Katzenstein.
Como referenciar: A Tragédia da Rua das Flores in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-14 09:31:48]. Disponível na Internet: