Artigos de apoio

Agência Lusa
A Agência Lusa - Agência Lusa de Informação, CIPRL começou a operar a 1 de janeiro de 1987, tornando-se desde logo na maior agência noticiosa de língua portuguesa. A sua função é distribuir ininterruptamente para os seus clientes notícias e fotografias sobre o que se passa em Portugal e no mundo.
A Agência Lusa nasceu da fusão da ANOP (Agência Noticiosa de Portugal) e da NP (Notícias de Portugal), as duas entidades que até então faziam a elaboração e distribuição de noticiário. Tratava-se de uma cooperativa em que o Estado detinha metade do capital. No entanto, devido aos grandes prejuízos financeiros acumulados em 1997 passou de cooperativa a sociedade anónima, detida maioritariamente por capitais públicos.
Em 1987, no primeiro ano de funcionamento, a Lusa não tinha instalações próprias e a redação estava dividida fisicamente entre as extintas ANOP e NP. Na época tinha 240 funcionários ao serviço, 170 dos quais jornalistas. Durante 1987, o funcionamento da agência não foi eficaz, o que levou a uma remodelação profunda a nível da direção no início do ano seguinte. Foi nesta altura que começou a crescer, tendo inaugurado uma sede própria em Lisboa, em janeiro de 1989.
Em 1996, depois de várias experiências, a Agência Lusa aderiu à Internet passando a disponibilizar um serviço noticioso gratuito vocacionado para as comunidades portuguesas no estrangeiro, assim como um serviço especial para rádios locais e imprensa regional, a preços mais acessíveis.
Diariamente são distribuídas cerca de 800 notícias e 250 fotografias. As notícias são divididas em diversos serviços: Cultura, Diversos, Sociedade, Desastres, Saúde, Nacional, Economia, Desporto, Internacional, Política e Agenda.
Na viragem do milénio, a Lusa contava com cerca de 200 jornalistas nos seus quadros, a que se juntavam outros 80 a colaborar de forma regular. Os jornalistas estão distribuídos pela sede, em Lisboa, e por diversas delegações em Portugal e no estrangeiro. A Lusa tem delegações ou correspondentes em todas as capitais de distrito e nos concelhos das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto. No estrangeiro conta com delegações em Madrid (Espanha), Bruxelas (Bélgica), Bissau (Guiné), Praia (Cabo Verde), Luanda (Angola), Maputo (Moçambique), Joanesburgo (África do Sul), Díli (Timor), Macau e Pequim (China) e São Paulo (Brasil). Tem também correspondentes em mais de trinta cidades, como Paris (França), Londres (Inglaterra), Genebra (Suíça), Roma (Itália), Berlim (Alemanha), Moscovo (Rússia), Washington (Estados Unidos da América ), Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro (Brasília), Rabat (Marrocos), Telavive (Israel) e Sydney (Austrália), entre outras.
O fluxo de notícias e de fotografias da Lusa é ainda reforçado com a troca de informações com outras agências internacionais. A nível de fotografia a Lusa foi uma das fundadoras da EPA (agência de fotografia europeia).
A Agência Lusa tem por clientes todos os jornais e as rádios de expansão nacional, assim como os três canais de televisão. Para além disso, serve também alguns jornais e rádios regionais, tal como semanários e jornais desportivos. Também tem por cliente alguma imprensa especializada e órgãos de comunicação social que servem comunidades de portugueses no estrangeiro. Dos países africanos de língua oficial portuguesa surgem também muitos clientes do serviço Lusa. Ao todo a Lusa tem cerca de mil clientes, entre órgãos de comunicação social, instituições financeiras, organismos e instituições públicas e privadas e até clientes individuais.
Como referenciar: Agência Lusa in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-06-27 01:07:45]. Disponível na Internet: