Índia

Geografia
País do Sul da Ásia. Faz fronteira com o Paquistão, a noroeste, com a China, o Nepal e o Butão, a norte, e com o Bangladesh e Myanmar, a nordeste, e é banhado pelo mar Arábico, a oeste, pelo oceano Índico, a sul, e pelo golfo de Bengala, a leste. A capital é Nova Deli, com uma população de 312 300 habitantes (2004) e as outras cidades principais são Bombaim (área metropolitana: 17 340 900 hab.), Calcutá (área metropolitana: 14 362 500 hab.), Deli 10 400 900 (área metropolitana: 17 367 300 hab.), Madrasta (área metropolitana: 5 906 000 hab.), Haiderabad (área metropolitana: 5 862 500 hab.), Bangalore (área metropolitana: 6 024 800 hab.), Ahmadabad (área metropolitana: 4 970 200 hab.), Pune (área metropolitana: 3 978 700 hab.), Kanpur (área metropolitana: 2 850 400 hab.), Lucknow (área metropolitana: 2 401 700 hab.) e Nagpur (área metropolitana: 2 394 300 hab.). É o sétimo maior país do Mundo, com uma superfície de 3 287 590 km2. Engloba três grandes áreas de relevo distintas: os Himalaias, as terras altas do Norte, o planalto do Decão e as planícies do Sul.
Quase 3/5 do solo é arável e cerca de 1/4 da terra cultivada é irrigada. A floresta corresponde a 1/4 do território.
Clima
O clima é tropical de monção caracterizado por duas estações: uma quente e húmida, de abril/maio a setembro, quando cai grande quantidade de chuva; e uma seca e menos quente, de outubro a março. Situa-se na Índia o local da Terra onde foi registada a maior quantidade de precipitação: Cherrapunji. Contudo, o Noroeste da Índia apresenta áreas desérticas (Thar).

Economia
Na agricultura, as principais produções são o arroz, a cana-de-açúcar, o amendoim, a sumaúma, a colza, a mostarda, o grão-de-bico, o sorgo, o milho, a batata, o coco, a banana e o chá. A maior parte destes produtos é destinada ao consumo interno e alguns, como o chá e o açúcar, destinam-se à exportação. A indústria extrativa, quase toda controlada pelo Governo, inclui o ferro, a bauxite, o manganésio, a cromite, o zinco, o cobre, o chumbo, o ouro e os diamantes. Os recursos energéticos englobam o carvão e poucas reservas de petróleo e de gás natural. As manufaturas incluem as indústrias pesadas e as de alta tecnologia como o cimento, o aço, o açúcar refinado, o papel e o cartão, a soda, os produtos de juta, o alumínio, os fios de nylon e de poliéster, os tecidos de algodão, as bicicletas, as motocicletas, os automóveis, os autocarros e os camiões, os produtos farmacêuticos, os artigos informáticos e joias de ouro. No conjunto, a indústria de materiais de transporte encontra-se em 1.º lugar, seguida da indústria química. Os principais parceiros comerciais da Índia são os EUA, o Japão, o Reino Unido e a Alemanha.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 1,1.

População
Mesmo com a criação de programas de planeamento familiar e de controlo da taxa de natalidade, o número de nascimentos continua a ser muito elevado, quando comparado com o crescimento económico capaz de melhorar os padrões de vida da maior parte da população. A Índia é o segundo país mais populoso do Mundo, com 1 095 351 995  habitantes, em 2006, e com uma densidade de 328,59 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 22,01%o e 8,18%o. A esperança média de vida é de 64,71 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,684 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,678 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 1 377 264 000 habitantes. Os maiores grupos etnolinguísticos são o hindi, com 45%, o telugu (8%), o bengali (8%), o marata (7%), o tâmil (7%), o urdu (5%) e o gujarate (5%). As religiões com maior expressão são o hinduísmo (80%) e o islamismo (11%). As línguas oficiais são o hindi e o inglês.

História
A Índia tem uma origem muito antiga e diversificada. Os Drávidas, dominantes até ao 2.º milénio a. C., sofreram a invasão de tribos arianas do Noroeste. No século XII, estabeleceu-se em grande parte da Índia o domínio muçulmano, substituído pelo Império Mongol entre os séculos XVI e XVIII. O interesse comercial dos europeus aumentou com a chegada de Vasco da Gama em 1498 e, mais tarde, com a criação da Companhia Britânica da Índia Oriental verificou-se um crescimento da influência britânica, ao mesmo tempo que internamente se fragmentava o poder mongol. Em 1757 o território ficou na posse da Grã-Bretanha, até 1947, ano em que concedeu independência ao país. A luta que levou à independência foi conduzida por Mohandas Karamchand Gandhi, que durante 50 anos lutou para ajudar os mais desfavorecidos, motivo que lhe valeu o título de Mahatma (Grande Alma). As duas principais etnias indianas (os hindus, que reclamavam um governo próprio, e os muçulmanos, que foram afastados do Poder pelos britânicos) começaram a dar sinais de insatisfação. Nesse mesmo ano, os muçulmanos conquistaram um novo Estado, o Paquistão. A tensão entre as duas etnias aumentou, resultando numa verdadeira chacina. Em 1948, Mahatma Gandhi foi assassinado por um fanático hindu. O líder do Partido do Congresso, Jawaharial Nehru, subiu ao Poder e tornou-se no primeiro-ministro indiano. Em 1965 as hostilidades com o Paquistão aconteceram novamente.
Na década de 1960 deu-se a Revolução Verde na agricultura indiana que permitiu ao Governo fazer uma reserva de cereais para compensar os maus anos agrícolas, evitando, assim, a fome. Contudo, o êxito da Revolução Verde foi afetado, alguns anos mais tarde, pelos problemas de poluição e quebra de rendimentos.
A filha de Nehru, Indira Gandhi, subiu ao Poder em 1966 e, durante 18 anos, manteve um Governo estável. Em 1971 enfrentou uma nova guerra com o Paquistão. O Paquistão Oriental tornou-se independente e levou à formação de uma nova nação, o Bangladesh. A crise seguinte envolveu os sikhs (uma minoria religiosa) que procuraram tornar o Penjabe numa nação independente, o que resultou em conflitos étnicos e religiosos em várias zonas do país. Em 1984, Indira Gandhi foi assassinada por dois oficiais sikhs da sua guarda pessoal. O seu filho, Rajiv Gandhi, foi nomeado seu sucessor e, em 1991, foi também assassinado.
A Índia é uma república federal constituída por 50 estados e 7 territórios unidos. A Constituição de 1950 é baseada no modelo britânico de governo parlamentar. Atualmente, o país vive um regime político multipartidário com um Parlamento, em que o primeiro-ministro governa com um Conselho dos Estados e com uma Câmara do Povo.
Uma catástrofe natural abalou o país a 26 de dezembro de 2004. Nesse dia, registou-se o maior terramoto dos últimos tempos (8,9 graus da escala de Richter) com epicentro ao largo da ilha indonésia de Samatra. Este sismo originou maremotos que assolaram a costa de vários países do sudeste asiático, como o Sri Lanka, o mais afetado, seguido da própria Indonésia, em terceiro a Índia e depois a Tailândia, a Malásia, as Maldivas e o Bangladesh, tendo provocado milhares de mortos e de desalojados.
Como referenciar: Índia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-23 05:59:30]. Disponível na Internet: